Ibovespa sobe com alta das ações da Vale

Em um dia de instabilidade no mercado acionário, a alta das ações da Vale e das demais empresas siderúrgicas ajudaram a sustentar o movimento de alta do Ibovespa. As ações da mineradora subiram acompanhando a alta do preço do minério de ferro e também a valorização das suas concorrentes no mercado internacional.


O Ibovespa fechou com leve alta de 0,31% aos 68.684 pontos, com giro financeiro de R$ 7,2 bilhões. As ações PNA da Vale subiram 3,22% e os papéis ordinários tiveram alta de 2,29%. O preço do minério de ferro subiu 0,6% no porto de Qingdao, na China, para US$ 61,17 a tonelada. As ações da BHP subiram 0,71% e os papéis da Rio Tinto tiveram alta de 2,68%.


De acordo com Luis Gustavo Pereira, estrategista da Guide Investimentos, os investidores estão otimistas à espera da definição da data de votação da reforma da Previdência Social no Plenário da Câmara dos Deputados. Ontem, o presidente da casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que deve ter condições de colocar o projeto na pauta para votação na última semana de maio, embora admita que o governo Michel Temer ainda não conte com todos os votos necessários para aprovação do projeto.


"O rali mais forte da bolsa em relação à aprovação da Previdência da reforma já foi. O mercado pode ter outro ciclo de alta quando a data for definida. Até lá, algumas ações vão subir pontualmente", diz Pereira. Ele cita também que os resultados financeiros divulgados no primeiro trimestre mostraram que as empresas estão mais eficientes e conseguiram preservar as margens. "Os lucros do segundo trimestre podem ser ainda melhores", diz. Para Pereira, o Ibovespa caminha para atingir os 69.500 pontos e daí pode bater o recorde histórico da bolsa, que é de 73.516, atingido em 2008.


Apesar da queda do petróleo no mercado internacional, os papéis da Petrobras fecharam com comportamentos distintos. As ações preferenciais da estatal subiram 0,13% e os papéis ordinários fecharam estáveis a R$ 16,19. Os contratos futuros de petróleo WTI com vencimento em junho caíram 0,4% para US$ 48,66 o barril.


A maior alta do dia ficou com os papéis da Sabesp, que subiram 6,81%, recuperando parte das perdas do dia anterior. Ontem, o conselho diretor do Programa de Desestatização aprovou a realização de estudos para capitalização da empresa. O objetivo, diz, é superar a situação restritiva para a realização de investimentos que visam a preservar a expansão das atividades de universalização de serviços de saneamento básico promovidos pela companhia.


Na ponta oposta, a maior queda do pregão ficou com os papéis da JBS, que recuaram 8,62%. A queda reflete a sinalização de que o IPO da subsidiária JBS Foods International pode não acontecer em 2017. A abertura de capital da empresa na bolsa de Nova York era vista pelos analistas e investidores como uma forma de "destravar" valor aos acionistas.


Hoje, o Morgan Stanley anunciou o rebalanceamento semestral do índice MSCI Brazil. O índice é usado como referência por diversos fundos de investimento. A carteira contém praticamente as mesmas ações do Ibovespa e é cotada em dólar para facilitar a comparação com as demais bolsas globais.


Na revisão do MSCI Brazil saíram as units da AES Tietê e entraram as units da Taesa. A nova carteira começa a vigorar a partir de 1º de junho e até lá o mercado pode registrar volatilidade para se adequar às mudanças.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos