Bolsas

Câmbio

Cautela com política limita queda em juros futuros e dólar

A cena externa favorece a queda do dólar e dos juros futuros na manhã desta sexta-feira. Os números mais fracos que o esperado do mercado de trabalho dos Estados Unidos pesaram na moeda americana e nos rendimentos dos títulos daquele país, com reflexo nos ativos brasileiros. No entanto, o recuo do dólar ante o real já se acomoda, sendo limitado pela cautela política.


As atenções no Brasil se voltam para eventos de risco na semana que vem. Entre os principais está o início do julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), esperado para o dia 6. Está prevista ainda para o começo da semana que vem a votação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.


Como o fluxo de notícia de Brasília não tem dado trégua, os agentes financeiros destacam um sentimento de cautela até que haja mais clareza.


Perto das 11 horas, o dólar comercial cedia 0,20%, a R$ 3,2401, já com alguma distância ante a mínima de R$ 3,2212.


O contrato futuro para julho, por sua vez, declinava 0,41%, a R$ 3,26.


Operadores de renda fixa destacam que as indefinições domésticas também inibem ajustes maiores nas taxas, mantendo assim algum prêmio ao longo da curva de juros futuros.


O DI janeiro/2021 cedia para 10,420%, ante 10,470% no ajuste anterior, após recuar até 10,400% mais cedo. Ainda entre os vértices intermediários, o DI janeiro/2018 marcava 9,385%, estável, e DI janeiro/2019 estava em 9,470%, ante 9,510%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos