Topo

Bolsas da Europa fecham em leve alta, com ajuda de setor financeiro

05/07/2017 14h39

Os mercados acionários europeus fecharam com sinal positivo, mas em leve alta.O Stoxx 600 fechou em alta de 0,18% a 382,98 pontos. O FTSE 100, de Londres, encerrou com subida de 0,14% a 7.367,60 pontos. O DAX, de Frankfurt, avançou 0,14% para 12.453,68 pontos. O CAC 40, de Paris, teve ganho de 0,10% a 5.180,10 pontos.


Os ganhos foram limitados pela tensão geopolítica.Além do teste de um míssil balístico intercontinental pela Coreia do Norte ontem, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito e Bahrein vão se reunir nesta quarta-feira para decidir se vão aplicar sanções contra o Catar, após acusações de o país apoiar o terrorismo.


A maioria dos setores terminou a sessão no positivo.O financeiro liderou os ganhos com subida de mais de 1%. Os bancos se beneficiaram com a decisão da Comissão Europeia de dar luz verde para o resgate de 5,4 bilhões de euros pelo governo italiano ao Monte dei Paschi, na terça-feira.O acordo permitiu elevar a quantia total de fundos públicos separada pelo governo para resgatar os bancos para mais de 20 bilhões de euros.


Já os destaques negativos vieram dos papéis de companhias de óleo e gás, diante da queda de mais de 3% do petróleo, além de serviços públicos e automóveis.


Nesta quarta-feira, os investidores estarão de olho na reunião entre Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito e Barhein para decidir sobre sanções contra o Catar, acusado de patrocinar o terrorismo em uma tentativa de se aproximar do Irã. A agência Moody's rebaixou a perspectiva de nota de crédito do Catar para "negativa".


Na reabertura dos mercados americanos após o feriado de 4 de julho, a tensão geopolítica ocupa as manchetes nos noticiários. Após o teste de míssil de longo alcance pela Coreia do Norte na terça-feira, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, afirmou que o lançamento indicou "uma nova escalada de ameaça" do regime liderado pelo presidente Kim Jong-un e pediu por uma ação global contra o país asiático.

Mais Economia