Bolsas

Câmbio

Negociadores tentam avançar em temas antes de conferência da OMC

A poucas semanas da realização da 11ª Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), os negociadores dos 164 países membros do organismo multilateral ainda buscam avançar em temas antigos e novos como agronegócio, pesca e comércio eletrônico para a reunião marcada para 10 a 13 de dezembro em Buenos Aires.


Durante encontro com jornalistas nesta quarta-feira, em Buenos Aires, a presidente da conferência ministerial da OMC, a argentina Susana Malcorra, ex-ministra das Relações Exteriores, reconheceu que a conferência ocorre num momento em que o "livre comércio está em uma encruzilhada, com questionamentos sobre o sistema multilateral".


A ex-ministra referiu-se ao recrudescimento do protecionismo pelo mundo e, sobretudo, à insatisfação do governo Donald Trump com atuais regras do comércio, representado pelo seu slogan "America First".


Apesar disso, Malcorra fez uma avaliação relativamente otimista sobre a postura que os negociadores norte-americanos devem mostrar durante a conferência, em dezembro. Segundo ela, a sinalização é que os representantes dos EUA vão sentar na mesa e negociar, ainda que de forma "dura", porque buscam um resultado "positivo".


O encontro entre Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping, previsto para ocorrer nas próximas semanas, cria grandes expectativas para que as duas potências encontrem mecanismos para reduzir suas diferenças, segundo ela. A intenção da Argentina ao sediar o encontro seria justamente "construir pontes" entre as nações.


Questionada sobre a possibilidade de grandes acordos durante a conferência, especialmente em temas sensíveis como agricultura, Susana fez questão de baixar a expectativa com a ideia de que "existe vida depois de Buenos Aires". Ela fez questão de lembrar que a Argentina vai incentivar acordos, mas alcançá-los depende de países membros.


Nas últimas semanas, a presidente da conferência ministerial da OMC fez contato com diferentes países para conhecer clima entre negociadores. Uma dos temas mais avançados é sobre o controle de subsídios ao setor pesqueiro. "É um tema que tem a ver com proteção de espaços marítimos próprios, a legalidade e a sobrepesca", avaliou.


Para além da agenda básica, Malcorra espera avanços em temas como comércio eletrônico e apoio a pequenas e médias empresas, embora alguns países membros sejam contra novos temas na agenda da OMC. "Os dois temas são elementos fundamentais do que será o comércio do século 21. São elementos estruturantes", disse ela.


A representante argentina acrescentou que negociadores estão iniciando trabalhos em Genebra para alinhar uma declaração de apoio e comprometimento dos países ao sistema multilateral de comércio. Segundo ela, essa grande mensagem incluiria ideias como transparência e que o sistema é necessário aos países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos