ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Ibovespa cai com siderúrgicas e Vale, em meio a cautela com TRF

23/01/2018 17h16

O Ibovespa segue nesta tarde com um movimento negativo, oscilando entre os 80 mil e os 81 mil pontos, diante do aumento da cautela dos investidores com a proximidade do julgamento do ex-presidente Lula no caso tríplex, marcado para amanhã.


Às 16h15, o índice cedia 1,20%, aos 80.693 pontos. O volume negociado era de R$ 5,8 bilhões.


Segundo operadores, parte do mercado já precificou que Lula será condenado, o que o afastaria, em tese, da disputa nas eleições deste ano e que estimula, neste caso, a leitura sobre a continuidade da agenda de reformas.


No entanto, operadores vêm citando que clientes estão aproveitando a cautela antes do julgamento para zerar algumas posições para evitar o risco em caso de um resultado favorável ao petista, resultado que poderia levar o Ibovespa a uma forte correção.


"Especialmente levando em conta que quinta-feira é feriado em São Paulo [pelo aniversário da cidade, que manterá a B3 fechada], o investidor ajusta posição para comprar de novo em caso de baixa", diz um operador.


O efeito, no entanto, ainda é visto como algo de curto prazo e não afeta a tendência de alta que a bolsa tem este ano, com base na forte entrada de estrangeiros e levando em conta os fundamentos consolidados do Brasil, em ano de boas perspectivas para os ganhos das empresas.


Quem está pesando sobre o Ibovespa hoje são as ações do setor de siderurgia, consideradas de "beta alto", isto é, que se movem com mais força para cima ou para baixo em relação ao próprio índice, caso da Usiminas (-4,80%) e CSN (-3,81%), além da Vale ON (-3,75%), principal giro do índice nesta tarde.


Quem também acentuou perdas foram as ações da Braskem (-2,06%). A PNA da petroquímica chegou a bater queda de quase 6%, com investidores vendendo papéis após a notícia de que a Petrobras, um dos controladores da companhia, prepara uma oferta de ações para sair da empresa. A informação foi dada segundo fontes à agência "Broadcast". A Petrobras divide o controle da Braskem junto com a Odebrecht.


Ajustes também ocorrem nos papéis da Eletrobras, depois da disparada de ontem na esteira do avanço da privatização da companhia, com assinatura do projeto de lei (PL) a respeito do tema. Hoje, PNB cai 3,06% e ON, 1,92%.

Mais Economia