Bolsas

Câmbio

Aneel propõe aumento médio de quase 26% nas tarifas da Cemig

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs nesta terça-feira o aumento médio de 25,87% das tarifas da Cemig Distribuição (Cemig-D) pela quarta revisão tarifária periódica. A companhia fornece energia para 8,2 milhão de unidades consumidoras de 774 municípios de Minas Gerais.


A diretoria da Aneel aprovou a abertura de audiência pública para discutir os cálculos da revisão tarifária da companhia pelo período de 7 de março a 21 de abril. Foi marcada uma reunião presencial para tratar do tema no dia 28 de março, em Belo Horizonte. As novas tarifas valerão a partir de 28 de maio.


A agência reguladora divulgou ainda os índices preliminares para as diferentes classes de consumo da Cemig. Os clientes residenciais e de pequenos comércios (baixa tensão) têm como previsão de alta de 22,73% nas contas de luz. Para os consumidores industriais (alta tensão), o percentual de aumento provisório é de 34,41%.


Ao aprovar a abertura da audiência pública, a diretoria informou que houve aumento na maior parte dos elementos de custos da tarifa da Cemig. Segundo a Aneel, cerca de metade do índice médio (12,5 pontos percentuais) é formada por "componentes financeiros" que amenizaram a alta de tarifas no ano passado - retirados, agora - e entrada de outros custos financeiros que vão pesar sobre o custo da energia este ano.


De acordo com o relator da proposta de revisão da Cemig, o diretor Tiago Correia, o custo de aquisição de energia responde por 27% da tarifa praticada pela companhia. Outros 21% estão ligados ao serviço de distribuição em si e mais 30% são relativos a tributos federais e estaduais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos