ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

IGP-DI fecha fevereiro com inflação de 0,15%

07/03/2018 08h48

O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou aumento de 0,15% em fevereiro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). No primeiro mês de 2018, a alta havia sido de 0,58%.


Com o resultado, o índice acumula elevação de 0,73% no ano e queda de 0,19% em 12 meses. Em fevereiro de 2017, o índice tinha subido 0,06% e acumulava alta de 5,26% em 12 meses.


Com peso de 60% nos Índices Gerais de Preços (IGPs), o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) também avançou 0,15% em fevereiro, vindo igualmente de 0,58% um mês antes.


Na análise por estágios de processamento, os preços dos Bens Finais registraram queda de 0,42%, ante aumento de 0,16% em janeiro. O principal responsável por esse movimento foi o subgrupo combustíveis para o consumo (1,79% para -4,36%).Bens Intermediários tiveram elevação de 0,25% em fevereiro, contra 1,34% um mês antes, refletindo o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção (4,20% para -3,87%).Já as Matérias-Primas Brutas aumentaram 0,76% em fevereiro, seguindo alta de 0,18% no início de 2018.


Representando 30% do IGP-DI, o Índice de Preços ao Consumidor desacelerou a alta de 0,69% para 0,17% de janeiro para fevereiro. Das oito classes de despesa componentes do índice, o destaque ficou com Alimentação (1,23% para -0,29%). Nessa classe de despesa, a FGV chamou atenção para o comportamento do item hortaliças e legumes (15,75% para -1,16%).


Com os 10% restantes, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou alta de 0,13% em fevereiro, depois de aumentar 0,31% um mês antes. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços teve expansão de 0,28%, abaixo da taxa apurada em janeiro, de 0,69%. Por sua vez, o índice que representa o custo da mão de obra não registrou variação pelo segundo mês consecutivo.


[module:valor_wysiwyg|src:sites/default/files/infograficos/Brasil/IGPDI/IGPDI_fevereiro2018_1092.html|width:100%|height:1092]

Mais Economia