ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 1.Ago.2018
Topo

Resultado da Latam mais do que dobra em 2017

15/03/2018 08h33

(Atualizada às 9h36) A Latam Airlines teve lucro líquido de US$ 67,164 milhões no quarto trimestre de 2017, ganho 23,6% maior que o apurado em igual período de 2016. Na mesma base de comparação, a receita do grupo de aviação formado após a fusão da chilena LAN e da brasileira TAM aumentou 7,7%, atingindo US$ 2,768 bilhões.

A receita com passageiros cresceu 7,7%, para US$ 2,274 bilhões, enquanto o faturamento de carga aumentou 9%, a US$ 337 milhões. Já a categoria "outras vendas" (alimentos e bebidas a bordo, assentos especiais, bagagem, etc.) subiu 5,5% a US$ 155 milhões.

Com os números do quarto trimestre, a Latam Airlines encerrou 2017 com lucro líquido acumulado de US$ 155,3 milhões, ganho 124,4% maior que o de 2016, enquanto a receita cresceu 6,7%, para US$ 10,163 bilhões.

O lucro operacional da Latam entre outubro e dezembro de 2017 atingiu US$ 270 milhões, ou 38,4% maior que o de igual período em 2016, determinando uma margem operacional de 9,8%, ante 7,6% um ano antes. No ano, esse indicador subiu de 6% para 7%.

A companhia aérea reiterou a meta para 2018, de fechar o ano com margem de lucro operacional entre 7,5% e 9,5%.

Passageiros

Os principais indicadores operacionais da Latam Airlines cresceram no quarto trimestre de 2017 e no ano fechado.

O número de passageiros transportados entre outubro e dezembro aumentou 3,3%, para 17,6 milhões de clientes, acumulando no ano 67,146 milhões de embarques, ou 0,3% mais que em 2016.

O Yield (quanto em média cada passageiros paga para viajar um quilômetro) cresceu 7,7% no quarto trimestre e 7,3% no acumulado do ano.

A receita média por passageiro obtida por assento disponível a cada quilômetro voado (Rask, na sigla em Inglês) da Latam Airlines subiu 5,3% no quarto trimestre, puxada pelo desempenho brasileiro, com avanço de 8,9%. Nos mercados domésticos hispânicos ? Chile, Colômbia, Peru, Equador e Argentina ?, a companhia melhorou esse indicador em 5,5%, enquanto nas rotas internacionais esse indicador subiu 5,6%.

No que se refere à operação doméstica de passageiros no Brasil - que representa 27,9% da receita total de passageiros -, a Latam Airlines Brasil aumentou a oferta pela primeira vez após 10 trimestres consecutivos de redução.

A oferta doméstica da Latam Airlines Brasil aumentou 0,9%, fortalecendo sua conectividade, especialmente nos hubs de Guarulhos e Brasília, enquanto a demanda medida em RPKs (passageiros-quilômetros transportados, na sigla em Inglês) aumentou 2,7% no quarto trimestre de 2017 em relação ao mesmo trimestre de 2016.

Como resultado, a taxa de ocupação aumentou 1,5 ponto percentual para 84,7% e as receitas por ASK (assentos-quilômetros disponíveis, na sigla em Inglês) cresceram 8,9% em dólares, e 6,6% em reais.

Para 2018, a Latam planeja elevar a oferta no Brasil de 2% a 4% ante 2017 em termos de ASK, variação inferior `média projetada para todo o grupo, de 5% a 7%.

Dívida

De acordo com a Latam reduzir o endividamento continua sendo uma das prioridades para este ano.No final do quarto trimestre de 2017, a dívida financeira líquida das companhia totalizou US$ 6,3 bilhões, redução de US$ 393,5 milhões em relação ao trimestre anterior.

Com isso, a alavancagem ? medida pela relação entre a dívida líquida ajustada e o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) em 12 meses cedeu de 4,9 para 4,5 vezes entre setembro e dezembro do ano passado. Em 31 de dezembro de 2016, esse indicador era de 5,3 vezes.

A Latam diz que em 2017 a geração livre de caixa atingiu US$ 1,379 bilhão , aumento de US$ 830,2 milhões em relação a 2016. A liquidez atingiu US$ 2,1 bilhões, representando 20,3% das receitas no período.

Para 2018, a Latam afirma que possui US$ 987 milhões em vencimentos da dívida. Os compromissos da frota totalizam US$ 714 milhões. Para 2019, os valores projetados para a frota somam US$ 1,213 bilhão.

Aeronaves

Em 2017, a Latam recebeu quatro aeronaves e devolveu 21, mantendo oito sob contratos de subarrendamento, em comparação com três subarrendadas em 2016. A companhia finalizou o ano com uma frota operacional de 307 aeronaves, redução de 22 unidades em relação a 2016.Para o ano de 2018, a empresa tem uma solicitação de dez novas unidades.

A Latam está incorporando à operação dois Airbus A350, anteriormente subarrendadas para a Qatar, mais um Boeing 767-300F, de carga, que será convertido de aeronave de passageiros Boeing 767-300 para um cargueiro, ao passo que cinco aeronaves serão devolvidas, finalizando 2018 com uma frota operacional de 316 aeronaves.

Em 2019, a Latam receberá 14 novas aeronaves e devolverá oito unidades, mais um Boeing 767-300F, que será convertido de aeronave de passageiros para um cargueiro, terminando o ano com uma frota operacional de 322 aeronaves.

A Latam diz que deve investir ainda cerca de US$ 650 milhões em Capex não relativos à frota em 2018.

Mais Economia