Bolsas

Câmbio

Dólar opera acima de R$ 3,37 com incerteza na cena política e exterior

O dólar opera em leve alta na manhã desta segunda-feira. A moeda americana até iniciou o dia num tom mais positivo, mas logo mudou de direção. De acordo com operadores, o mercado brasileiro se alinha aos demais emergentes, que trabalham sob pressão, principalmente por causa da situação da Rússia.

O movimento mais notório, de fato, é a desvalorização de mais de 3% do rublo, que puxa as perdas dos pares. Esse é o pior desempenho diário numa lista das 33 principais divisas globais. Em seguida, estão rand sul-africano, peso mexicano e lira turca. O real brasileiro vem na sequência junto com o peso chileno.

Na sexta-feira passada, os Estados Unidos impuseram sanções a empresas e altos funcionários do governo de Moscou, elevando preocupações sobre os efeitos mais amplos na economia do país. Entre os pontos de atenção estariam possíves calotes da United Co. Rusal, também alvo das sanções. A companhia é responsável por 7% da produção mundial de alumínio.

No Brasil, as atenções ainda se voltam para a cena política. As incertezas sobre o quadro eleitoral podem pesar nos mercados, embora a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha potencial de fornecer alguma contribuição para os ativos locais.

Por volta das 10 horas, o dólar comercial subia 0,23%, a R$ 3,3745, depois de tocar R$ 3,3779 na máxima do dia.

O contrato futuro para maio, por sua vez, avançava 0,09%, a R$ 3,3770.

Os juros futuros também acompanharam o avanço do dólar mais cedo, mas logo se acomodaram perto da estabilidade.

O DI janeiro/2021 era negociado a 8,110% (8,090% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2023 apontava 9,170% (9,150% no ajuste anterior).

Entre os vencimentos mais curtos, os indicadores de inflação que serão divulgados nesta semana devem reiterar o espaço para o corte da Selic em maio. Hoje, o IGP-DI de março acelerou para 0,56%, ante a alta de 0,15% no mês anterior, conforme divulgado pela FGV. Amanhã é a vez do IPCA.

O DI janeiro/2019 operava a 6,250% (6,255% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2020 apontava 7,090% (7,080% no ajuste anterior).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos