ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Dólar intensifica alta para mais de 1% e supera R$ 3,55

02/05/2018 11h25

O mercado brasileiro de câmbio volta a refletir a valorização global do dólar nesta quarta-feira. O movimento ganha força ao longo desta jornada e a divisa americana já sobe mais de 1%, superando o nível de R$ 3,55.Por volta das 11h20, o dólar comercial subia 1,20%, a R$ 3,5445, depois de tocar R$ 3,5520 na máxima do dia por ora.

O contrato futuro para junho, por sua vez, avançava 1,09%, a R$ 3,5575.

O real brasileiro tem o quarto pior desempenho da sessão, num dia de pressão elevada sobre os emergentes. Lira turca, peso argentino e peso colombiano são os destaques negativos numa lista das 33 principais moedas globais.

O que respalda esse quadro de maior aversão ao risco é a ansiedade com a decisão de política monetária do banco central americano, às 15 horas, no horário de Brasília. O Federal Reserve (Fed, banco central americano) deve preparar o terreno para uma elevação de juros em sua próxima reunião, em junho, e os agentes financeiros já se resguardam contra um discurso inclinado ao aperto da política monetária.

A taxa deve ser mantida no intervalo de 1,50% a 1,75%, mas a recuperação econômica nos EUA e sinais de aceleração inflacionário amparam apostas para um aperto monetário mais duro neste ano.

Para o estrategista-chefe do banco Mizuho do Brasil, o Fed ainda deve manter seu grau de liberdade sobre a trajetória dos juros nos EUA. Mas a contínua recuperação da atividade, com sinais de fortalecimento do mercado de trabalho, já reforça a chance de quatro altas de juros ao longo de 2018, em vez de três como era esperado no começo do ano.

O mercado brasileiro de câmbio também enfrenta hoje alguns ajustes de preços, após o feriado de 1º de Maio. Enquanto os ativos no Brasil não contaram com novos negócios, o exterior já teve mais um dia de perdas. Em dois dias, a lira turca perde 2,83%, o rand sul-africano recua 2,05% e o peso mexicano cai 2,03%.

O sinal no câmbio também se estende para os juros futuros, que sobem hoje em quase todos os vencimentos.

O DI janeiro/2019 subia a 6,260% (6,225% no ajuste anterior) e oDI janeiro/2020 avançava a 7,050% (6,960% no ajuste anterior). ODI janeiro/2021 tinha alta a 8,050% (7,960% no ajuste anterior) enquanto oDI janeiro/2023 apontava 9,240% (9,160% no ajuste anterior). ODI janeiro/2025 registrava 9,760%, ante 9,690% no ajuste anterior.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia