ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Dólar 'ignora' Copom e ronda R$ 3,71

17/05/2018 16h34

O "efeito Copom" no câmbio teve vida curta, e o dólar, que pela manhã chegou a cair, mudou a direção para alta e superou a marca de R$ 3,70 pela primeira vez em 25 meses. Na máxima, a cotação bateu R$ 3,7131, maior nível desde abril de 2016.Às 16h33, o dólar comercial subia 0,72%, a R$ 3,7055.

A moeda havia iniciado os negócios em firme queda, registrando a mínima do dia já na abertura (R$ 3,6490), em baixa de 0,82%. Ao longo da manhã, contudo, as vendas foram cessando até que a cotação virou e passou para o campo positivo, acelerando os ganhos por volta de 13h.

A percepção é que, a despeito do movimento do Banco Central (BC) de não subir os juros, o cenário para a taxa de câmbio segue mais no sentido de desvalorização do que de um alívio consistente.

Na pesquisa Focus do BC, há apostas de que o dólar chegará a R$ 3,81 no próximo mês de outubro, quando ocorrerão as eleições presidenciais. E essa estimativa está em alta. No começo de maio, por exemplo, a cotação máxima esperada para outubro não passava de R$ 3,7. Já hoje o dólar superou R$ 3,71.

Ao mesmo tempo que o cenário global segue amparando alta do dólar no Brasil, a escalada da moeda para os patamares atuais e a velocidade do movimento podem sugerir que a depreciação do real pode estar exagerada.

Apenas em maio, o real perde 5,4%, terceiro pior desempenho entre as principais moedas. No ano, o dólar dispara 11,8%.

O \"efeito Copom\" no câmbio teve vida curta, e o dólar, que pela manhã chegou a cair, mudou a direção para alta e superou a marca de R$ 3,70 pela primeira vez em 25 meses. Na máxima, a cotação bateu R$ 3,7131, maior nível desde abril de 2016.Às 16h33, o","image":"","date":"17/05/2018 17h19","kicker":"Valor Online"}}' cp-area='{"xs-sm":"49.88px","md-lg":"33.88px"}' config-name="economia/economia">

Mais Economia