! Aprenda a falar de improviso - Carreira - UOL Economia

Carreiras

13/04/2007 11h51

Aprenda a falar de improviso

Reinaldo Polito
Falar de improviso. Assim como ocorre com a maioria das pessoas, talvez essa também seja uma das suas maiores aspirações.

Imagine este quadro: você está rodeado de gente, sem a mínima noção de que alguém poderia ter a "brilhante" idéia de convidá-lo a se apresentar -e é chamado para falar em público de improviso!

Veja se este não é um sonho que merece ser acalentado.

Mesmo tomado de surpresa, sem nenhum preparo, você, diante de uma circunstância tão adversa, tendo condições de falar com desembaraço, muita desenvoltura e conseguindo alinhavar o pensamento, concatenando as idéias com tranqüilidade e competência.

Vou lhe contar um segredo: realizar esse sonho de falar de improviso em qualquer situação de maneira segura e eficiente é mais simples do que você talvez esteja imaginando. Basta seguir os passos que vou sugerir neste texto.

Saiba antes o que significa falar de improviso
Falar de improviso, diferentemente do que algumas pessoas imaginam, não significa falar sem conhecer o assunto. Se uma pessoa se atreve a falar em público sem ter informações sobre o tema que irá transmitir, o adjetivo mais benevolente que poderíamos lhe atribuir é o de irresponsável.

Quem fala sem conhecimento do conteúdo que pretende transmitir põe em risco sua imagem e reputação. Assim, se você for convidado para falar sobre um assunto que não conhece e não tiver tempo suficiente para estudá-lo, a atitude mais sensata é recusar o convite.

Da mesma forma, um dos erros mais graves que você poderia cometer é o de se sentir tão seguro e confiante para falar em público e negligenciar a preparação, passando a refletir sobre o assunto que irá expor apenas no momento em que já estiver frente a frente com os ouvintes.

Por isso, de todos os recursos com os quais poderá contar para se sair bem numa apresentação os mais importantes serão sempre o preparo e o domínio do conteúdo.

Agora que já chamei a atenção para esses aspectos que considero fundamentais para uma boa apresentação em público, podemos tratar do conceito e das técnicas do improviso.

Falar de improviso significa falar sem ter preparado de forma conveniente a apresentação.

Suponha que você esteja em uma reunião ou em um evento e é convidado para falar sobre determinado tema. Embora o assunto não lhe seja estranho, você terá de estruturar o pensamento e organizar a seqüência da exposição ali diante dos ouvintes. Essa é uma situação que identifica a fala de improviso.

Veja quais são as técnicas que poderão ajudá-lo a se sair bem em momentos como esse.

Fale antes sobre um assunto de seu domínio
Antes de desenvolver o tema que é a matéria central da sua apresentação, fale a respeito de um assunto que conheça com bastante profundidade e que tenha alguma ligação direta ou indireta com o conteúdo que deverá transmitir.

Esse assunto de apoio, que você domina, poderá ser uma notícia que esteja acompanhando com interesse, fatos que tenha presenciado, cenas dos filmes que foram marcantes, passagens de livros que tiveram significado especial, viagens que realizou, desafios que enfrentou, conquistas que experimentou, temas relacionados à sua atividade profissional ou ao seu passatempo preferido. Enfim, qualquer assunto sobre o qual possa falar com segurança e tranqüilidade.

Depois de discorrer algum tempo sobre esse assunto de apoio, você deverá encontrar uma maneira de fazer a transição para o assunto principal.

Nesse momento você poderia questionar: Polito, mas o ouvinte não vai perceber o artifício? Se você agir de maneira correta, não. Veja onde está o segredo.

É natural que ao falar você saiba quais as etapas que cumpre na apresentação. Saberá quando faz a introdução, a preparação, o desenvolvimento do assunto central e a conclusão. Entretanto, os ouvintes receberão a mensagem como sendo uma só, desde o princípio até o final.

Ora, como você fala com desembaraço e desenvoltura ao abordar o assunto de apoio, pois é uma matéria de seu domínio, o ouvinte, recebendo a mensagem como sendo uma só desde a introdução até a conclusão, terá a impressão de que o seu domínio é da informação toda. Na verdade, você conhece bem o assunto de apoio, e talvez apenas superficialmente o tema principal.

Resumindo: fale antes sobre o assunto que você conhece bastante e depois ligue com o tema que talvez não conheça tanto, e que é o objetivo da sua exposição.

Alguns cuidados sobre o uso do assunto de apoio:

  • Não desenvolva o assunto de apoio por tempo demasiado, para não dar a impressão de que ele é mais importante que o tema principal;
  • escolha como apoio aquele assunto que você conheça muito bem. Não caia na armadilha de optar por um assunto para apoiar a apresentação apenas pelo fato de existir algum tipo de ligação entre ele e o principal;
  • não passe de maneira abrupta do assunto de apoio para o tema principal;
  • não dê a impressão de estar "enrolando" ou "enchendo lingüiça", pois não é esse o objetivo da técnica do improviso.

    Tenha em mente que o assunto de apoio deverá servir para que os ouvintes o vejam como alguém que conhece bem o tema da apresentação e também para auxiliá-lo a organizar de forma mais criteriosa e correta a seqüência da fala.

    Outras funções do assunto de apoio
    Mesmo sabendo que a objetividade é cada vez mais requisitada, pois com a vida corrida que levamos não sobra tempo para ouvir exposições muito longas, secar conversa pode ser visto como atitude de gente chata.

    Um bom orador nem sempre é aquele que já nos primeiros instantes da exposição entra diretamente no assunto que pretende transmitir.

    O orador de qualidade, às vezes, para tornar sua apresentação mais interessante, mais estimulante, mais atraente, mesmo conhecendo bem o tema que irá apresentar, separa o assunto e procura preservá-lo. Atinge essa finalidade usando como apoio um assunto que lhe é muito familiar.

    Ao abordar um assunto preliminar, de seu conhecimento, cria uma expectativa adicional nos ouvintes, deixando-os mais interessados em receber as informações da mensagem principal.

    Observe o desempenho dos grandes oradores. Note que a maioria deles se vale de assuntos que conhece muito bem para preparar de maneira mais apropriada suas apresentações e torná-las ainda mais interessantes.

    Procure seguir o exemplo desses oradores. Antes de apresentar o assunto central da sua mensagem, analise se não poderia se valer do apoio de um assunto que conheça muito bem, e que tornasse sua exposição mais instigante.

    Se os assuntos forem ligados um ao outro de forma natural, poderá dar a impressão aos ouvintes de que se trata de uma só mensagem e tornar a apresentação muito mais atraente.

    Também serve para o improviso
    Além dos assuntos de seu conhecimento que você poderá lançar mão como recurso para as falas de improviso, será possível contar também com os fatos que tenha observado pouco antes do momento da sua apresentação.

    Por exemplo, você poderá iniciar citando uma notícia que tenha ouvido há pouco durante o trajeto em uma emissora de rádio, ou um fato curioso que tenha lido no jornal pela manhã, ou ainda um diálogo que manteve com alguns ouvintes pouco antes da apresentação.

    Esses assuntos atuais darão a você mais confiança, por serem recentes. E por causa dessa atualidade, provavelmente, serão ainda mais estimulantes para os ouvintes.

    Esses são apenas alguns dos recursos com os quais você poderá contar para fazer bem os improvisos. Saiba, todavia, que quanto mais você conhecer o assunto da sua apresentação, mais seguro se sentirá diante do público e mais eficiente será a sua comunicação.

    Por isso, por mais irônico que possa parecer, prepare-se cuidadosamente para que possa fazer cada vez melhor seus improvisos.

    SUPERDICAS DA SEMANA
  • Tenha sempre na "manga" um assunto de apoio para falar de improviso
  • Use como apoio notícias recentes para tornar o improviso mais interessante
  • O assunto da conversa que manteve há pouco pode ser um ótimo apoio para o improviso
  • Mesmo que a chance seja remota, pense no que dizer se for convidado a falar de improviso
  • → Livro de minha autoria que trata desse tema: "Como falar de improviso", Editora Saraiva


  • Reinaldo Polito

    Reinaldo Polito é mestre em ciências da comunicação, palestrante e professor de expressão verbal. Escreveu 19 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares

    Site: www.reinaldopolito.com.br
    e-mail: polito@uol.com.br