Hindustan Times via Getty Images

O adeus dos fundadores

mudança de planos

Jeff Bezos, da Amazon, não foi o único: veja outros empresários que deixaram as companhias que criaram

Saiu do conselho de administração da empresa em 2020. A justificativa oficial foi de que ele queria se dedicar à sua organização filantrópica, mas o estopim pode ter sido um relacionamento com uma funcionária.

Microsoft

Bill Gates

Getty Images

Getty Images

Renunciaram a seus cargos na Alphabet, controladora do Google, em 2019. Mas eles continuaram com 51% de ações especiais da companhia, com direito a voto.

Larry Page e
Sergey Brin

Google

Deixou a presidência da empresa em 2019, com uma festa para 80 mil pessoas. Em 2020, virou notícia depois de sumir por três meses.

Jack Ma

Alibaba

Renunciou ao conselho de administração da empresa em 2019. Ele já havia deixado o cargo de diretor-geral em 2017, acusado de estimular práticas de machismo e assédio no trabalho.

Travis Kalanick

Getty Images

Uber

Ben Gabbe/WireImage para o The Webby Awards

A rede social foi comprada pelo Facebook em 2012, mas os dois fundadores só saíram em 2018. Eles afirmaram querer "explorar sua criatividade e curiosidade". A versão não oficial é de que havia conflitos com Mark Zuckerberg.

Kevin Systrom e
Mike Krieger

Instagram

Foi demitido em 1985, por disputas com o então CEO John Sculley. Em 1996, voltou à Apple como consultor e logo na sequência assumiu o comando da empresa. Ele foi CEO até agosto de 2011: renunciou ao cargo meses antes de morrer.

Steve Jobs
(1955-2011)

Apple

Também deixou a empresa temporariamente, entre 2008 e  2011. Em 2015, se tornou novamente CEO da companhia, cargo que ocupa até hoje. 

Jack Dorsey

Twitter

Getty Images

Foi CEO do Yahoo de 2007 a 2009. Deixou a empresa em 2012. No período em que esteve no comando, o Yahoo recusou uma oferta de compra pela Microsoft.

Jerry Yang

Yahoo

Getty Images

Edição: Armando Pereira Filho

Reportagem: Giulia Fontes

Publicado em 9 de julho de 2021.