PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Começou a pintar avião aos 12 e já trabalhou com TransBrasil, TAM e Azul

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/03/2020 04h00Atualizada em 16/03/2020 13h02

Resumo da notícia

  • Gianfranco Beting, o Panda, fez seu primeiro projeto de pintura de avião aos 12 anos para a TransBrasil
  • Em sua carreira, Panda já criou cerca de 30 pinturas diferentes para aviões comerciais
  • O trabalho mais recente foi para a futura companhia norte-americana Breeze
  • Ele diz não usar mais o predomínio do branco e que a evolução das tintas permite explorar outras cores

Os aviões brancos dominam os aeroportos em todo o mundo, mas para o consultor de marketing Gianfranco Beting, conhecido como Panda, não precisa ser assim. Panda é especialista na criação de marcas para companhias aéreas e em pinturas de aviões comerciais (veja os principais na galeria de fotos acima). Ele já criou desenhos para cerca de 30 aviões comerciais.

Seu mais recente trabalho foi para a futura companhia aérea norte-americana Breeze. A marca da empresa e a pintura do avião foram apresentadas no mês passado e chamaram a atenção por fugirem do padrão de aviões brancos. As aeronaves da Breeze serão pintadas em três tons metálicos de azul.

Segundo Panda, por muitos anos os designers de pinturas de avião evitaram o uso de cores escuras porque elas "queimavam" mais facilmente, deixando o avião desbotado. "As tintas evoluíram e hoje são muito mais resistentes", afirmou. Nos aviões da Breeze, será usado pó de cerâmica para dar brilho ao visual do avião.

Acostumado a criar pinturas especiais para aviões comerciais, Panda afirma que hoje já nem pensa mais em criar o visual de um avião com o predomínio da cor branca. O uso de cores, aliás, foi exatamente o que marcou o primeiro trabalho de Panda.

Pintura de avião aos 12 anos

Panda fez seu primeiro projeto para uma companhia aérea quando ainda era criança. Apaixonado por aviões desde a infância, aos 9 anos, seu pai, o jornalista Joelmir Beting (1936-2012), o apresentou ao presidente da TransBrasil, Omar Fontana. Foi quando a aviação entrou definitivamente em sua vida. "Fiquei muito próximo e ele meio que foi me criando", disse.

Naquela época, a TransBrasil pintava seus aviões com diferentes combinações de cores. Um belo dia, Fontana sugeriu que aquele garoto, já com seus 12 anos, apresentasse algumas combinações para os novos aviões da companhia. "Para a minha surpresa, ele escolheu duas combinações de cores. Era um sonho para um garoto", afirmou.

Foi na TransBrasil que Panda teve seu primeiro emprego, atuando no departamento de marketing da companhia, onde ficou até 1997. Panda também trabalhou na criação de marcas de outras empresas aéreas do passado, como da Aero Brasil Cargo e da TAM Jatos Executivos. Para a InterBrasil, fez a identidade visual, como o logo e a pintura dos aviões.

O primeiro projeto internacional surgiu em 2002, quando criou uma pintura para a companhia aérea norte-americana Spirit. Naquela época, os aviões da empresa passaram a ser todos em tons prateados.

Criação da Azul

O projeto mais abrangente veio com a criação da Azul. Panda foi o primeiro funcionário da companhia aérea brasileira. No cargo de diretor de marketing, ajudou na escolha do nome e fez a criação do logotipo e o padrão de pintura dos aviões.

Apesar de os aviões da Azul ainda terem o predomínio do branco, foi Panda que incentivou que a companhia investisse em pinturas especiais. O primeiro projeto foi substituir a cor azul pela rosa em um Embraer 195. Depois disso, surgiram várias outras, como a bandeira do Brasil, uma em homenagem à agência de viagens da empresa ou em referência ao verão brasileiro.

Um dos projetos que Panda relembra com mais entusiasmo foi em homenagem ao piloto de Fórmula 1 Ayrton Senna. O nariz de um Embraer 195 foi pintado com as cores do capacete do ídolo brasileiro.

"Foi um projeto em parceria com o Instituto Ayrton Senna e fizemos em oito dias. O avião foi apresentado e no dia seguinte a foto estava em sites e jornais de 88 países", afirmou.

Projetos internacionais

Panda deixou a Azul em 2015. Quando o fundador da Azul, David Neeleman, comprou uma participação na TAP, Panda foi chamado para trabalhar na companhia aérea portuguesa. Entre os projetos, duas pinturas de aviões são o grande orgulho de Panda.

Uma faz referência ao programa de conexão estentida (stopover) da companhia e o outro é uma pintura em estilo retrô que remete aos aviões da empresa dos anos 1960. "Uma vez estava no aeroporto de Lisboa e vi um senhor chorando e olhando para o avião. Ele me disse que estava emocionado porque se lembrou de quando imigrou para Portugal", afirmou.

Além de se destacar nos aeroportos por onde passa, um avião com pintura especial também atrai a atenção de colecionadores e fãs de aviação. "Sempre que tem uma pintura diferente, rapidamente os chineses já fazem uma nova maquete. A TAP adorou vender milhares de maquetes do avião retrô", disse.

Seu trabalho mais recente ainda não pode ser visto nos aeroportos. A expectativa, no entanto, é que a Breeze comece suas operações nos Estados Unidos ainda neste ano.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Veja caminho que sua mala faz no aeroporto depois de despachada

UOL Notícias

Todos a Bordo