! Consumidor desconhece cadastro positivo e tem visão restrita da ferramenta - 29/08/2008 - InfoMoney
 

29/08/2008 - 14h09

Consumidor desconhece cadastro positivo e tem visão restrita da ferramenta

SÃO PAULO - Poucos paulistanos sabem o que é o cadastro positivo, porém, quando explicada sua função, aqueles que desconhecem a ferramenta passam a valorizá-la. Entretanto, estas pessoas têm uma visão limitada do cadastro, que inclui informações de tomada de crédito da população.

Dados da ACSP (Associação Comercial de São Paulo) revelam que 87% dos brasileiros nunca ouviram falar no cadastro positivo, enquanto 5% não sabem/não lembram e 8% conhecem o cadastro. Na realidade, o grau de desconhecimento na população entrevistada foi de 92%.

De acordo com a superintendente de Produtos e Serviços da ACSP, Roseli Garcia, quando o entrevistado é sensibilizado sobre a função do cadastro, ele reconhece o valor da ferramenta. "Por isso, é preciso fortalecer a estratégia de comunicação para a população", afirmou, sobre o cadastro que está em estudo no Brasil.

Avaliação

Depois de explicar o conceito do cadastro positivo, a pesquisa da ACSP, encomendada à Toledo & Associados, mostrou que o ponto positivo mais citado foi "premia quem cumpre os compromissos em dia", que obteve 25% das respostas dos mais de mil entrevistados. Na tabela abaixo, é possível analisar o ponto avaliado pelos paulistanos contatados:

Item Respostas
Premia quem cumpre seus compromissos em dia 25%
Facilita o pagamento, por cobrar menos juros 24%
Menos juros estimulam a assiduidade nos pagamentos 20%
Aumentará o poder de compra/incentivará mais compras 7%
Aumenta a credibilidade dos bons pagadores com juros menores 7%
Pagadores assíduos vão poder poupar/vão economizar 6%
Distingue os bons e maus pagadores 5%
As famílias poderão controlar melhor os gastos 3%
Irá desburocratizar a abertura do crediário 3%
Valoriza os bons pagadores 2%
Fonte: ACSP


Com base nos dados acima, Roseli afirmou que os principais pontos citados estão ligados à forma de pagamento: se a pessoa quitou a dívida em dia ou não. "Mas o cadastro positivo é muito mais que isso. Ele mostra que a pessoa tem renda, revela o histórico de crédito e se ela tem um potencial de uso do crédito. É reconhecer que ela tem capacidade de tomar crédito", ponderou.

O cadastro positivo em outros países

Em sua apresentação durante o C4 (Congresso de Cartões de Crédito ao Consumidor), o presidente da Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), Adalberto Savioli, colocou alguns efeitos do cadastro positivo no mundo.

Nos Estados Unidos, antes da implementação do cadastro, 40% dos consumidores tinham acesso a financiamentos, proporção que passou para 80%. No Chile, o cadastro positivo aumentou o acesso das mulheres ao crédito em até quase igualdade com os homens.

No México, por sua vez, houve maior acesso ao crédito para a baixa renda. Na Alemanha, onde o crédito era pouco difundido, ele chegou a ser três vezes superior à média internacional. Na China, havia exigência de mais garantias, para créditos raros, restringindo, assim, o crescimento da economia. Hoje, o crédito atinge mais que o dobro do PIB.