! Portal quer atrair clientes devolvendo parte do valor pago pelos produtos - 19/09/2011 - InfoMoney
 

19/09/2011 - 14h15

Portal quer atrair clientes devolvendo parte do valor pago pelos produtos

SÃO PAULO – As novidades no mundo do comércio eletrônico não pararam com os sites de compras coletivas ou com o social commerce, que usa as redes sociais para a comercialização de produtos e serviços. A última investida foi lançada no dia 11 de setembro por um portal agregador de lojas virtuais que trabalha com o conceito de cash back, ou seja, a partir de compras efetuadas através do site o consumidor recebe de volta um percentual do valor pago.

Inspirados nos diversos modelos que tentam captar clientes através de programas de fidelidade os sócios fundadores do portal, Ismael Salmen e Ofli Guimarães explicam que o usuário é recompensado a cada compra que efetuar no Meliuz.

Guimarães esclarece que o site não é uma loja virtual, mas sim um canal que reúne vendedores de produtos e serviços de diversas categorias, como o Walmart, Compra Fácil, Americanas.com e Submarino, e possibilita o consumidor comparar preços de produtos, comprá-los e ainda receber de volta uma porcentagem do valor pago.

No site, o retorno financeiro pelos produtos ou serviços adquiridos vão desde 1,5% até 45%. É possível adquirir produtos eletrônicos, com retornos de até 5,5% do valor pago, serviços de seguros, com reembolsos de até 25% entre muitos outros, explicam os fundadores do portal.

Oportunidades nas compras online
No universo on-line o consumidor pode encontrar muitas oportunidades, mas é sempre preciso cuidado para que as oportunidades não se transformem em problemas financeiros. De acordo com o professor da InvestEducar, Márcio Rodrigues, os itens vendidos com descontos ou com em programas de fidelização devem ser adquiridos dentro de uma estratégia orçamentária.

É preciso ainda avaliar o preço e o retorno. Na prática, muitos produtos vendidos através da internet são mais baratos do que aqueles vendidos nas lojas, no entanto, custos de frete podem acabar com essa diferença.

Promoções, descontos e programas de fidelização devem valer a pena e, acima de tudo, devem ser necessários. Comprar itens desnecessários só porque está barato não configura nenhum tipo de economia. Rodrigues também podera que agir por impulso é um dos maiores problemas dos consumidores. Ciente disso a sugestão é que se preste atenção antes de efetivar uma compra.