UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

29/09/2010 - 14h44

Fiesp corta previsão de expansão industrial no ano

SÃO PAULO, 29 de setembro (Reuters) - O desempenho da atividade industrial paulista ficou levemente inferior ao esperado em agosto, contribuindo para o setor cortar a previsão para o ano, ainda que o quadro siga positivo e indicando expansão disseminada entre os setores.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) informou nesta quarta-feira que a produção industrial paulista teve variação positiva de 0,4% no mês passado sobre julho, com ajuste sazonal.

"Ficou um pouco abaixo do que a gente previa. Esperávamos algo em torno de 0,6% ... O dado de um mês só não forma tendência, temos que ver de vários meses e isso (dados recentes até agora) mostra crescimento," disse Paulo Francini, diretor do departamento econômico da Fiesp.

"Revisamos a projeção de crescimento neste ano de 11% para 10%. Para alcançar 11%, teríamos que crescer 1,7% por mês nos próximos meses. Para alcançar 11%, teremos que crescer 0,7% por mês, o que é mais factível."

Francini explicou que 1,7% foi a taxa média mensal de expansão da atividade industrial paulista no primeiro trimestre, provavelmente o mais forte do ano. No segundo trimestre houve um arrefecimento, inclusive com taxas negativas, e neste terceiro trimestre o setor retoma o crescimento, mas em um ritmo mais moderado e mais condizente com sua capacidade.

O número de 10% marcará uma forte recuperação sobre 2009, quando, abatida pela crise financeira mundial, a indústria do Estado teve a pior performance da série histórica, caindo 8%. É a segunda melhor performance da série iniciada em 2002, perdendo apenas para 2004 (13,1%).

A Fiesp informou ainda que em agosto a indústria cresceu 7,9% sobre agosto de 2009, acumulando nos oito primeiros meses deste ano salto de 12,3%.

Setores

Segundo Francini, 66% dos setores apresentaram crescimento da atividade em agosto. "Isso é positivo, significa que o avanço está bastante disseminado."

Os destaques de alta foram alimentos e bebidas, com elevação de 2,1% em agosto sobre julho, com ajuste sazonal, materiais não metálicos -que engloba a construção--, com alta de 2,3%, e máquinas e equipamentos, com avanço de 1,6%.

A Fiesp também informou que o nível de utilização da capacidade instalada da indústria ficou em 82,4% em agosto, contra 82,0% em julho e 80,5% em igual mês do ano passado.

Outra pesquisa da Fiesp, o Sensor, que visa antecipar o humor do empresário no mês corrente, caiu para 52,8 em setembro, comparado com 53,5 em agosto, mas manteve-se acima da linha de 50, o que indica continuidade do crescimento.

Hospedagem: UOL Host