! Aliansce compra controle de 5 shoppings, supera Iguatemi - 10/01/2012 - Reuters - Economia
 

10/01/2012 - 07h34

Aliansce compra controle de 5 shoppings, supera Iguatemi

SÃO PAULO (Reuters) - A Aliansce anunciou na noite de segunda-feira a aquisição do controle de cinco shopping centers, por 574,5 milhões de reais, operação que garantirá à companhia a posição de terceira maior operadora de shoppings do país, entre aquelas de capital aberto.

A transação, realizada por meio da compra do maior sócio da Aliansce no portfólio existente, envolve 60 por cento do Carioca Shopping (RJ), 50 por cento do Boulevard Campos (RJ), 49 por cento do Caxias Shopping (RJ), 40,1 por cento do Boulevard Campina Grande (PB) e 40 por cento do Shopping Taboão (SP), além da totalidade da loja-âncora C&A do Carioca Shopping.

Com a aquisição, a Aliansce irá adicionar 59.524 metros quadrados em Área Bruta Locável (ABL) própria, um incremento de 21,6 por cento, totalizando 335.230 metros quadrados próprios.

Conforme dados apresentados pelas empresas do setor, referentes ao terceiro trimestre de 2011, a Iguatemi respondia pela terceira posição entre as operadoras de capital aberto no Brasil, enquanto BR Malls e Multiplan ocupavam o primeiro e segundo postos, respectivamente.

Do total a ser pago, 537 milhões de reais serão desembolsados na data de aquisição e a companhia assumirá dívidas do vendedor no portfólio de aproximadamente 37,5 milhões de reais, a custo médio de Taxa Referencial de Juros (TR) mais 10,8 por cento.

A aquisição será financiada com linhas de crédito imobiliário no valor de até 500 milhões de reais pelo período de 15 anos, com um ano de carência de principal, oferecidas pelo Bradesco e já aprovadas pelo conselho de administração da operadora de shoppings.

"O portfólio possui potencial de expansão amplo e rentável... Ganhos de escala irão resultar em melhora na margem de Ebitda da companhia", afirmou a Aliansce no documento, acrescentando que já havia anunciado expansões em quatro dos cinco shoppings com inauguração prevista até o final de 2013.

Segundo a empresa, as aquisições somadas às expansões levariam a margem Ebitda do terceiro trimestre de 2011 a aumentar de 71,9 para 74,1 por cento, por exemplo.

A aquisição ainda depende da conclusão do processo de due diligence (avaliação) dos ativos e da aprovação pelos acionistas em assembleia.

(Por Vivian Pereira)