! Dilma deve anunciar medidas ao voltar da Índia, diz Skaf - 22/03/2012 - Reuters - Economia
 

Crise econômica

Veja os principais destaques sobre a situação nos Estados Unidos e na Europa e entenda as consequências para o Brasil

  • Imagem: Josep Lago/AFP

22/03/2012 - 16h13

Dilma deve anunciar medidas ao voltar da Índia, diz Skaf

BRASÍLIA, 22 Mar (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff deve anunciar medidas de incentivo à economia após a viagem que fará para a Índia, disse nesta quinta-feira (22) a jornalistas o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, que participou de reunião em Brasília com Dilma, ministros e empresários. 

Dilma participará na próxima semana da cúpula dos Brics -bloco que inclui Rússia, China e África do Sul, além de Brasil e Índia. 

Segundo Skaf, a presidente determinou ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, que elabore medidas para compensar os fatores conjunturais que fazem com que a indústria perca competitividade atualmente. 

O presidente da Fiesp não disse quais seriam essas medidas, mas afirmou ter apresentado ao governo pleitos como a redução do preço da energia elétrica e a ampliação da desoneração da folha de pagamento. 

"A presidente saiu convencida e sensibilizada de que a indústria de transformação no Brasil precisa de uma atenção especial neste momento", disse Skaf a jornalistas após a reunião. 

Na reunião, Dilma afirmou aos empresários que não vai "proteger, mas vai defender a indústria brasileira", segundo a presidente da varejista Magazine Luiza, Luiza Trajano. 

Segundo ela, Dilma não fez comentários sobre possíveis novas medidas para incentivar a indústria brasileira, que vem sofrendo com uma situação cambial que tem favorecido a entrada de importados. 

Luiza comentou ainda que a presidente manifestou interesse na contínua queda dos juros. A executiva afirmou também que, nos últimos quatro meses, com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), as vendas de itens da linha branca cresceram 25% no Brasil. 

Segundo os empresários que participaram da reunião, Dilma falou por cerca de meia hora e anotou as observações feitas por eles. A reunião durou mais de três horas. 

Veja mais