! Faber-Castell é acusada de vender borracha com substância tóxica - 28/02/2008 - UOL Economia
 

28/02/2008 - 16h15

Faber-Castell é acusada de vender borracha com substância tóxica

Da Redação

Em São Paulo
A Associação Brasileira de Defesa ao Consumidor Pró Teste afirmou nesta quinta-feira que boa parte dos materiais escolares mais utilizados hoje em dia traz riscos à saúde do usuário. É o caso da borracha "TK Plast", da Faber-Castell.

Faber-Castell diz que já retirou componente tóxico

Segundo o órgão, o produto contém 50 vezes além do permitido a quantidade de "ftalatos", uma substância química que é utilizada como aditivo para deixar o plástico mais maleável. O problema foi encontrado na borracha branca de embalagem azul e na amarela com capa de mesma cor.

AS BORRACHAS SUSPEITAS
Divulgação
Pro Teste acusa borrachas da Faber-Castell modelos branca com capa azul e amarela de capa amarela de possuírem substância tóxica
Esta substância é considerada potencialmente cancerígena e, se usada por longo prazo, pode causar danos ao fígado, rins, pulmão, além de anormalidade no sistema reprodutivo.

A Pro Teste afirma que o mínimo contato com um material tóxico já é prejudicial à saúde, contudo, como se trata de um produto usado com grande freqüência, o risco é ainda maior. A contaminação pode ocorrer tanto pelo tato como pela ingestão do produto.

Embora o Brasil não possua nenhum tipo de legislação que imponha limites ao uso do "ftalato", a substância é praticamente inutilizada na Europa, onde os produtos que contém plástico não podem ter em sua composição concentração de "ftalatos" superior a 1% do peso do material.

A Faber-Castell, por sua vez, ao tomar conhecimento da análise feita pelo órgão, informou que desde setembro de 2007 não utiliza mais a substância em suas borrachas. Entretanto, a Pro Teste não se diz satisfeita com comunicado, por entender que o consumidor não possui condições de saber se o produto que está comprando já é de um lote com nova composição, pois a borracha não traz identificação de lote ou data de fabricação.

"Por isso, estamos solicitando também que as novas borrachas passem a trazer essa informação em seus rótulos", diz a fundação.

A fabricante da TK Plast informou, por meio de comunicado em seu site, que seus produtos sempre estiveram em conformidade com as normas do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) e reforçou também que nos Estados Unidos ainda não existe restrição para esse tipo de substãncia.

"As demais borrachas da Faber-Castell Brasil nunca contiveram esse ingrediente em suas fórmulas", disse.

A empresa disponibilizou um serviço de atendimento ao consumidor através do telefone 0800 772 0025 para tirar dúvidas e substituir as borrachas fabricadas antes de 13 de setembro de 2007 -data em que o "ftalato" deixou de compor a fórmula do produto.