! Alimentos fazem inflação oficial superar 5% em 12 meses, aponta IBGE - 09/05/2008 - UOL Economia
 

09/05/2008 - 09h26

Alimentos fazem inflação oficial superar 5% em 12 meses, aponta IBGE

Da Redação

Em São Paulo
Pela primeira vez desde março de 2006, o indicador oficial de inflação no país superou 5% em um período de 12 meses.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) apontou que os preços nos 12 meses encerrados em abril aumentaram 5,04%. A meta do governo é que o índice marque 4,5% em todo o ano de 2008, com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Inflação deve fechar 2008 acima da meta, avalia economista
Você está sentindo os efeitos da inflação?

Nos 12 meses imediatamente anteriores, a alta dos preços havia sido de 4,73%. A inflação em abril foi de 0,55%, acima do 0,48% registrado em março e do 0,25% de abril do ano passado.

No acumulado de 2008, o indicador registrou alta de 2,08%. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A inflação em abril ficou em linha com a previsão de analistas consultados pela agência Reuters.

Eles esperavam inflação de exatamente 0,55% no mês, de acordo com a mediana e a média de 32 estimativas, que ficaram entre 0,53% e 0,65%.

Pão francês sobe 7,33%
Os preços de alimentos subiram 1,29% em abril; em março, haviam aumentado 0,89%. Os produtos não alimentícios tiveram aumento de 0,34%, ligeiramente abaixo do 0,36% verificado no mês anterior.

A alta da comida contribuiu com metade (0,28 ponto percentual) da taxa de inflação de abril. O pão francês subiu 7,33%, sendo o item que mais ajudou a puxar a inflação.

Outros produtos derivados do trigo também tiveram forte aumento: farinha (6,8%), pão doce (3,02%), macarrão (2,34%), e pão de forma (1,12%).

Ainda na área de alimentos, encareceram expressivamente em abril a cebola (15,87%), o leite pasteurizado (3,56%), o óleo de soja (3,18%), o arroz (1,96%) e as carnes (1,35%).

Além da comida, outros produtos também contribuíram com o aumento da inflação. O preço das roupas subiu 1,53%; o de artigos de limpeza (água sanitária, sabão em barra etc) avançou 1,41%; o de remédios aumentou 1,18% e os artigos de higiene pessoal (xampu, sabonete etc) ficaram 0,8% mais caros.

(Com informações da Reuters)