Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Ibovespa: Sabesp, PIB da zona do Euro e empregos no EUA movimentam mercado

Esta é a versão online da newsletter Por Dentro da Bolsa enviada hoje (07). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

No Brasil, investidores vão repercutir a aprovação na Alesp do projeto de lei que autoriza a privatização da Sabesp. Além disso, ainda na agenda política, o relator da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), deputado Danilo Forte (União Brasil-CE), fará uma coletiva à imprensa, às 11h30, sobre o relatório final, e, em seguida, o parecer será protocolado no sistema do Congresso Nacional. A expectativa e que o governo crie limites para o bloqueio de despesas do Orçamento de 2024 com base no piso de crescimento dos gastos previsto no novo arcabouço fiscal. Os investidores ainda ficarão atentos à fala de Roberto Campos Neto, presidente do BC, no Encontro Anual Drex 2023, no Edifício-Sede do Banco Central, em Brasília.

Nos EUA, serão divulgados os dados de auxílio-desemprego. Os números poderão trazer mais uma informação sobre o mercado. A pesquisa ADP reforçou a leitura de enfraquecimento do emprego. A criação de vagas de trabalho no setor privado chegou a 103 mil em agosto, segundo ADP, ficando abaixo do esperado de 125 mil. Os futuros das bolsas americanas operam com sinal negativo, em meio ao acúmulo de sinais de menor ímpeto da economia global, desde o ADP dos EUA, à produção industrial alemã e às importações na China, resultando em piora na perspectiva de lucros à frente. Além disso, as especulações de que o Banco do Japão irá em breve abandonar o último regime de taxas de juros negativas do mundo vêm aumentando a maior aversão ao risco.

Na Europa, as bolsas operam em baixa. Os indicadores divulgados são monitorados no continente, entre eles a leitura final do PIB (Produto Interno Bruto) da zona do euro no terceiro trimestre e a produção industrial da Alemanha, que acabou frustrando a previsão. Além disso, os investidores também estão repercutindo os dados da balança comercial da China, em geral, modestos. Na Alemanha, a produção industrial sofreu uma queda de 0,4% em outubro, na comparação com setembro, vindo pior do que o previsto, de baixa de 0,2%. O PIB da zona do euro recuou 0,1% no terceiro trimestre, na comparação com o segundo trimestre, na leitura final. O resultado veio em linha com a previsão do mercado. Na comparação anual, o indicador ficou estável ante o terceiro trimestre de 2022. A expectativa, neste caso, era de avanço de 0,1%.

Na Ásia, as bolsas fecharam no negativo. Os investidores repercutiram os dados sobre a balança comercial da China, que mostraram uma demanda doméstica ainda fraca. A balança comercial do país trouxe superávit comercial de US$ 68,4 bilhões ante a expectativa de US$ 58,1 bilhões em novembro. As exportações ficaram em US$ 291,9 bilhões, crescimento de 0,5% na comparação anual e as importações de US$ 223,5 bilhões, uma queda de 0,6% a/a, ante a previsão de estabilidade. Depois de comentários do presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda, sobre políticas mais desafiantes no futuro, o mercado especula que a instituição irá em breve elevar os juros e encerrar o regime de taxas de juros negativas. A Bolsa de Xangai fechou em queda de 0,09%, e a de Shenzhen, caiu 0,27%. Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei registrou baixa de 1,76%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,71%. Os investidores repercutem negativamente, a avaliação da agência de rating Moody's que revisou sua perspectiva para o rating de Hong Kong, de estável para negativa, após ter feito o mesmo com a China nesta semana. Na Coreia do Sul, o índice Kospi registrou baixa de 0,13%, em Seul, e em Taiwan, o índice Taiex caiu 0,47%. Ainda hoje, na agenda de indicadores, o PIB do 3T23 do Japão será divulgado e e a balança comercial também.

Os preços do petróleo operam em alta, recuperando parte das perdas da sessão anterior. Os preços foram pressionados pela elevada produção de petróleo bruto e pelos estoques de gasolina nos EUA. As cotações do minério de ferro na China fecharam com ganhos de quase 4%, a medida que o mercado reagiu aos números das exportações da China e às atualizações positivas dos principais produtores.

A Alesp aprovou o texto-base da privatização da Sabesp. O Projeto de Lei 1.501/23 precisava de, no mínimo, 48 votos dos 94 parlamentares, e a sessão contou com quórum de 64 deputados. A privatização da companhia envolverá a redução da participação acionária do governo de São Paulo dos atuais 50% para algo entre 15% a 30%. O Estado permaneceria com uma golden share que lhe permitiria vetar determinados assuntos. O PL 1501/23 determina que a desestatização da companhia se dará por meio de uma oferta de ações subsequentes, no modelo de follow on. Hoje, o valor de mercado da companhia é de cerca de R$ 46 bilhões. A Sabesp é uma empresa de economia mista, responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgoto de 375 municípios paulistas. A empresa atende 28,4 milhões de pessoas com abastecimento de água e 25,2 milhões com coleta de esgotos. Ainda não há indicação por parte do Palácio dos Bandeirantes de quanto pretende arrecadar com a venda, pois o governo não indicou qual deve ser sua participação. A promessa do governo paulista é fazer isso até janeiro.

O Conselho de Administração da Cyrela aprovou a distribuição de dividendos intermediários no montante correspondente a R$ 0,3334039225 por ação ordinária de emissão da construtora, excluídas as ações em tesouraria. Terão direito aos dividendos os acionistas da companhia na data-base de 11 de dezembro de 2023. Assim, as ações da Cyrela serão negociadas "ex-dividendos" a partir de 12 de dezembro. O pagamento dos dividendos será realizado em 18 deste mês.

Continua após a publicidade

************

Veja o fechamento de dólar, euro e Bolsa na quarta-feira (6):

Dólar:-0,48%, a R$ 4,9013
Euro: -0,61%, a R$ 5,2782
B3 (Ibovespa): -1,01%, aos 125.622,65 pontos

NA NEWSLETTER UOL INVESTIMENTOS

O 13° é muito esperado por diversos trabalhadores. Há quem resolva quitar dívidas, pagar contas ou comprar presentes no fim do ano. Mas, para quem quer investir, há diversas opções interessantes no mercado. Veja as alternativas e quanto esse dinheiro vai render em um ano. Na newsletter UOL Investimentos, você fica sabendo qual é esse fundo, como ele funciona e como investir nele. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes