PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Roteiros de cerveja, brigadeiro e bike viram oportunidade de negócio

Larissa Coldibeli

Do UOL, em São Paulo

29/08/2013 06h00

Roteiros temáticos por São Paulo, como passeios guiados de bicicleta por pontos turísticos da cidade, bares de cervejas especiais, baladas e docerias finas, estão virando uma oportunidade de negócio.

Semanalmente, grupos se reúnem para degustar brigadeiros, sorvetes, bem-casados, cervejas de origem belga, alemã e americana, ou simplesmente pedalar pela cidade.

Deva Castanhari é sócio da WTrends, empresa de consultoria para o mercado de bebidas e um dos idealizadores do Sampa Beer Tour, que leva 14 pessoas para um passeio por quatro bares especializados em cervejas especiais todos os sábados. Um sommelier de cervejas acompanha o passeio.

Castanhari diz que a inspiração veio de Montreal, no Canadá, onde há um roteiro desse tipo. O negócio foi lançado no dia 10 de agosto deste ano.

Cada “beer turista”, como são chamados os participantes, desembolsa R$ 165. "O valor dá direito a um copo de cada uma das 12 cervejas especiais oferecidas durante o passeio, petiscos, transporte de van entre os bares e uma camiseta", diz Castanhari.

A van pega os participantes na estação Faria Lima do metrô, ao meio-dia, e segue para o Empório Alto dos Pinheiros. Os bares seguintes são Aconchego Carioca, Mr. Beer e, por fim, Cervejaria Nacional.

O idealizador do roteiro afirma que o investimento inicial para estruturar o negócio não passou de R$ 10 mil – a van é de uma prestadora de serviço terceirizada. Não há necessidade de licença específica para o roteiro, apenas para a transportadora, que é regularizada, de acordo com Castanhari.

"Não há metas de faturamento para o negócio por enquanto, pois o objetivo é conhecer o potencial do mercado", declara. No entanto, ele afirma que, para ser lucrativo, é necessário ganhar escala, já que o número de participantes é muito limitado – 14 por semana.

Sucesso de roteiro por baladas motivou criação de empresa

O empresário Eduardo Stefanini é sócio do Pub Crawl SP, que leva baladeiros paulistanos e turistas por uma maratona em bares na noite da cidade. O passeio é  finalizado sempre numa boate.

Não há um roteiro fixo. No primeiro bar da noite, que é o ponto de encontro do grupo, os participantes ganham uma hora de cerveja e petiscos. Na sequência, são visitados mais três bares com drinque de boas-vindas e uma casa noturna. Os preços variam de R$ 20 a R$ 60, dependendo do dia da semana e dos locais visitados.

Ele também é sócio da empresa Savor São Paulo, que organiza roteiros gastronômicos pela cidade. O primeiro é o Sweet Flavor Tour, dedicado a docerias, que está em operação desde o dia 20 de julho deste ano.

Por R$ 45, os participantes conhecem seis lojas e a especialidade de cada uma: os brigadeiros da Maria Brigadeiro, os sorvetes da Diletto, os chocolates da Chocolat du Jour, os bem-casados da Fina Nata, as amêndoas italianas confeitadas da Conti Confeitaria e as balas artesanais da Rock Candy.

Stefanini não dá detalhes sobre o negócio para não divulgar a estratégia da empresa. O empresário garante, no entanto, que há roteiros não explorados na cidade e que ele quer investir mais no setor.

Passeio de bike tem fila de espera de 200 pessoas

Outro roteiro é o Bike Tour SP, idealizado e organizado pelo arquiteto e ciclista André Moral. Trate-se de um passeio de bicicleta por pontos turísticos da avenida Paulista e pelo centro da cidade, que ocorre aos domingos e feriados, na ciclofaixa de lazer.

Segundo Moral, a procura é grande e há 200 pessoas na lista de espera.

Ele e o irmão, Daniel Moral, investiram mais de R$ 70 mil para comprar as bicicletas e equipamentos de segurança que são oferecidos aos participantes, além de iPods que oferecem com gravações sobre os pontos turísticos visitados.

“A ideia surgiu das minhas visitas aos museus da Europa, em que as pessoas circulam com um aparelho que conta a história das obras em vários idiomas”, declara.

Os participantes ganham água, barra de cereal e bilhete de metrô para a volta. Os grupos são de dez pessoas, além dele e o irmão, que vão como monitores.

O roteiro não tem fins lucrativos, mas Moral está em busca de patrocinadores para expandir o projeto. 

Negócio exige boa estrutura para trabalhar em vários horários 

Para que o negócio dê lucro e o empreendedor possa viver disso, é necessário ter escala, diz. Hashimoto “É importante ter estrutura e logística, além de um bom marketing, para organizar vários grupos por semana ou, até, por dia. Dessa forma, há ganho de escala e o lucro aumenta.”

O professor destaca, também, que é importante que o empresário tenha claro quem serão os seus clientes – os participantes dos passeios ou as empresas visitadas durante eles.

“Se o objetivo é levar os participantes às melhores empresas de determinado segmento, ele não pode incluir no roteiro uma empresa mediana só porque ela paga comissão a ele. Existe a tentação de querer ganhar dos dois lados, mas há um conflito de interesses aí”, afirma.

Para Marcos Hashimoto, professor e coordenador do Centro de Criatividade e Empreendedorismo da FAAP, a exploração de roteiros especializados como os citados acima não são exclusividade das grandes cidades.

“Cidades de menor porte também têm suas vocações. É possível elaborar um roteiro por indústrias calçadistas em Franca, por exemplo”, declara.

Serviço:

Sampa Beer Tour: www.facebook.com/sampabeertour
Savor São Paulo: www.savorsaopaulo.com.br
Bike Tour SP: https://www.facebook.com/BikeTourSp