Fórum festeiro e polêmico

Fórum Econômico Mundial já teve celebridades, envolvidos na Lava Jato e premiou Lula como estadista global

Mariana Bomfim Do UOL, em São Paulo
Christian Hartmann/Reuters

Todo ano, milhares de pessoas importantes e ricas do mundo se reúnem em uma pequena cidade suíça para discutir temas de interesse global. O Fórum Econômico Mundial de Davos discute questões como aquecimento global e crise econômica internacional.

Mas também tem um lado curioso. Em sua história recente, recebeu e premiou envolvidos na operação Lava Jato, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os empresários Marcelo Odebrecht e Eike Batista.

Astros de Hollywood e celebridades em geral já estiveram por lá, como Emma Watson (a Hermione de "Harry Potter"), Leonardo DiCaprio, Angelina Jolie, Bono Vox e Paulo Coelho. Eles circulam não só em palestras, mas também em festas em hotéis de luxo regadas com bebidas caras e bandas famosas. Veja a seguir curiosidades sobre o badalado encontro.

O que é o Fórum Econômico Mundial?

Evaristo Sá/AFP Evaristo Sá/AFP

Fórum deu a Lula o prêmio de "Estadista Global"

Em 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu do fórum o recém-criado "Prêmio Estadista Global". Segundo a organização do evento, a honraria foi criada para premiar líderes políticos que usam seu mandato para aperfeiçoar o estado do mundo. 

O então chanceler Celso Amorim recebeu o prêmio em nome de Lula, que não foi a Davos devido a problemas de saúde. O ex-presidente enviou uma carta de agradecimento, dizendo que "o principal segredo do sucesso do Brasil é acreditar e apoiar o povo, os mais fracos e os pequenos".

Não foi a primeira vez que Lula teve destaque no evento. Em 2003, recém-eleito, Lula foi elogiado por seu discurso moderado, no qual garantiu que seu mandato não atacaria o capitalismo.

Anos mais tarde, Lula foi investigado por corrupção na operação Lava Jato e cumpre pena de 12 anos e um mês preso em Curitiba desde abril de 2018, pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. 

ler mais

O presidente do Brasil demonstrou um verdadeiro comprometimento com todos os setores da sociedade (...). Lula é um modelo a ser seguido pela liderança global

Klaus Schwab

Klaus Schwab, presidente do Fórum Econômico Mundial, em 2010

Outros envolvidos na Lava Jato passaram pelo fórum

Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo

Marcelo Odebrecht

Ex-presidente da empreiteira Odebrecht já foi listado pelo Fórum Econômico Mundial, em 2006, como um dos "Jovens Líderes Globais", como alguém que assumiria funções de liderança e responsabilidade num futuro próximo. Investigado pela operação Lava Jato e condenado a pena de 19 anos e quatro meses, Odebrecht está em prisão domiciliar, por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Antes, ele passou dois anos e meio na cadeia.

Ricardo Borges/Folhapress Ricardo Borges/Folhapress

Eike Batista

O ex-bilionário já foi um dos empresários brasileiros próximos do Fórum Econômico Mundial. Em 2011, liderou uma plenária no encontro do fórum na América Latina. Eike já foi o sétimo homem mais rico do mundo no ranking da revista "Forbes" e perdeu a fortuna após o colapso de suas empresas. No ano passado, foi condenado a 30 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele chegou a ficar três meses preso e, hoje, está em prisão domiciliar.

Petrobras deu dinheiro a projeto contra a corrupção

A petroleira Petrobras já participou de um programa do Fórum Econômico Mundial para combater a corrupção, sendo uma importante doadora de recursos ao projeto. 

A estatal foi centro das investigações da operação Lava Jato a partir de 2014. Diversos ex-diretores foram condenados por corrupção, e a estimativa é de que as perdas da companhia tenham sido de bilhões de reais. 

Estrelas de Hollywood são figuras frequentes em Davos

  • Emma Watson

    A atriz de "Harry Potter" compareceu, em 2015, como embaixadora das Nações Unidas para as mulheres e falou sobre igualdade de gênero

    Imagem: Xinhua/Aftonbladet/Sumapress
  • Leonardo DiCaprio

    Em 2016, o premiado ator Leonardo DiCaprio, na condição de mensageiro da paz da ONU, criticou companhias de gás e petróleo por "contribuírem com a mudança climática"

    Imagem: Divulgação
  • Kevin Spacey

    O ator da série "House of Cards" participou de um painel sobre a política norte-americana, em 2016. Investigado por denúncias de assédio sexual, Spacey foi cortado da última temporada da série

    Imagem: Getty Images
  • Bono Vox

    O ativista irlandês e cantor da banda U2 já participou de diversas edições do fórum defendendo questões ligadas a áreas sociais

    Imagem: Denis Balibouse/Reuters
  • Paulo Coelho

    Autor do best-seller "O Alquimista", o escritor brasileiro é presença frequente em Davos. Em 2010, por exemplo debateu em um painel intitulado "Daring to be Different" (Ousando ser Diferente)

    Imagem: Laurent Gillieron/AP
  • Angelina Jolie

    Em 2006, a atriz norte-americana discursou sobre direitos humanos e direitos das crianças. Jolie é embaixadora da ONU para os refugiados

    Imagem: Pierre Verdy/AFP
Getty Images Getty Images

Estação de esqui

A cidade onde acontece anualmente o fórum é Davos, nos Alpes suíços. Com pouco mais de 10 mil habitantes, a região é muito procurada por turistas no inverno por causa dos teleféricos e dos espaços para a prática de esqui. 

Durante o encontro, empresários também aproveitam para esquiar e frequentar restaurantes premiados nos arredores. 

Hotéis de luxo, festas e jatinhos

Junior Lago/UOL Junior Lago/UOL

A maioria das milhares de pessoas que comparecem ao fórum chega à Suíça de avião. Dispara o número de aterrissagens e decolagens de jatinhos nos principais aeroportos próximos a Davos, como o de Zurique e o de St. Gallen-Altenrhein. Em 2018, a estimativa é de que quase 1.000 jatos tenham passado por esses terminais.

Divulgação Divulgação

Fórum também teve momentos históricos

Pelo menos dois momentos históricos importantes aconteceram durante o Fórum Econômico Mundial:

  • 1988 - Um acordo costurado durante o encontro evitou que a Turquia e a Grécia entrassem em guerra. A tensão entre os dois países havia escalado após os turcos realizarem pesquisas marítimas em regiões próximas a ilhas gregas.
     
  • 1992 - O presidente da África do Sul, Frederik de Klerk, se encontrou pela primeira vez com o então presidente do partido Congresso Nacional Africano, Nelson Mandela (foto acima), que estava fora da prisão havia apenas dois anos. Esforços dos dois levaram ao fim do apartheid, o regime de segregação e discriminação institucionalizada dos negros no país. Pelo feito, Frederik de Klerk e Nelson Mandela ganharam o Nobel da Paz em 1993.
Reprodução Reprodução

Palco do fórum foi cenário de um clássico da literatura

Davos foi cenário da obra-prima "A Montanha Mágica" (1924), do alemão Thomas Mann (1875-1955), ganhador do Nobel de Literatura em 1929. O livro se passa em um sanatório fictício no alto das montanhas. No início do século 20, Davos era conhecida por suas clínicas para tratar tuberculosos. Na época, acreditava-se que o ar em altitudes elevadas curava ou, pelo menos, ajudava a amenizar os sintomas de doenças pulmonares.
 

Curtiu? Compartilhe.

Topo