PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Pazuello dará coletiva de imprensa amanhã para fazer "balanço da pandemia"

25.fev.2021 -  O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante declaração à imprensa sobre a falta de leitos em UTI no país - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
25.fev.2021 - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante declaração à imprensa sobre a falta de leitos em UTI no país Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

14/03/2021 17h38Atualizada em 14/03/2021 17h55

Cada vez mais perto de deixar o cargo e sob pressão de políticos, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello já informou a auxiliares que dará uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (15), às 16 horas. A convocação oficial da coletiva será para fazer um balanço da pandemia. Na coletiva, segundo apurou a coluna, Pazuello falará ainda sobre vacinas e a situação do Acre e Rondônia.

Ainda não está certo se o presidente Jair Bolsonaro vai anunciar antes disso a saída do ministro. Há pouco, em nota oficial, o Palácio do Planalto confirmou o encontro do presidente com a médica Ludhmila Hajjar, no Palácio da Alvorada. Ela está sendo cotada como possível substituta do ministro.

Auxiliares do presidente dizem que o processo de saída de Pazuello "está caminhando" e que o ambiente, além da pressão política, é de um desgaste pessoal muito grande. O ministério divulgou uma curta nota hoje afirmando que "até o presente momento o ministro Eduardo Pazuello segue à frente da Pasta".

Generais próximos a Pazuello dizem que ele já vinha demonstrando cansaço e pedido para deixar o cargo. Ministros, no entanto, negam que Pazuello tenha pedido para sair, mas admitem que já há um tempo a avaliação sobre uma troca no comando da Saúde está sendo feita.

No último sábado (14), em reunião no Hotel de Trânsito em Brasília, onde Pazuello mora, Bolsonaro e alguns dos seus principais ministros falaram da condução da pasta no combate à pandemia e da situação do ministro.

Estavam na reunião os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Braga Neto (Casa Civil) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa).

Pazuello reclamou de cansaço. Segundo generais próximos, o ministro não se recuperou completamente depois que teve coronavírus e possui problemas respiratórios.

Segundo uma fonte do Planalto, o discurso de problemas de saúde, aliado a uma crescente pressão do centrão por mais espaço na esplanada e a pandemia em escalas elevadas de mortes estão se tornando na "tempestade perfeita" para encerrar a trajetória de Pazuello na pasta.

PUBLICIDADE