PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ministro da Defesa e Comandante do Exército discutem "situação Pazuello"

Braga Netto e Eduardo Pazuello - Carlolina Antunes / Presidência
Braga Netto e Eduardo Pazuello Imagem: Carlolina Antunes / Presidência
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

24/05/2021 13h39

O Comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, foi nesta segunda-feira (24) ao Ministério da Defesa, em Brasília, para conversar com o ministro Braga Netto sobre a situação do general Eduardo Pazuello.

A conversa aconteceu por volta das 11 horas da manhã. Segundo apurou a coluna, o Exército divulgará uma nota para falar da situação do general, que deve ser alvo de abertura de um processo disciplinar.

O comandante do Exército relatou a indignação de generais de quatro estrelas com a atitude de Pazuello de participar de um ato político ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

Dentro da caserna, a cobrança é por uma "punição exemplar".

Segundo apurou a coluna, no entanto, dentro do Ministério da Defesa o tema "não está sendo tratado como uma crise" e sim um "fato sensível". Braga Netto, recentemente, também participou de um ato de apoio a Bolsonaro. A única diferença é que ele já é um general da reserva.

Pazuello já se desculpou e admitiu o erro ao comandante, mas é possível que haja uma conversa pessoal entre os dois ainda hoje.

A expectativa é que Pazuello formalize suas explicações ao Exército e depois o trâmite seguirá o "rito de julgamento de transgressão disciplinar".

De acordo com generais, a decisão deve ser rápida, no máximo, em até 72 horas.

Depois de a decisão ser publicada, porém, há possibilidade de Pazuello recorrer internamente. "Será solucionado administrativamente pelo Exército", afirmam fontes da Defesa.