PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Caminhoneiros pedem a Guedes prorrogação de programa de linha de crédito

Protesto caminhoneiros - Reprodução/TV Band
Protesto caminhoneiros Imagem: Reprodução/TV Band
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

01/06/2021 12h43Atualizada em 01/06/2021 15h26

Mesmo recém-contemplados com novas promessas por parte do governo, com o lançamento do programa Gigantes do Asfalto, caminhoneiros enviaram, nesta terça-feira (1), ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um requerimento que pede a prorrogação da linha BNDES Crédito Caminhoneiros, que se encerra originalmente no próximo dia 8.

"Ocorre que no tempo de duração da linha de crédito nenhum transportador autônomo conseguiu ter acesso a ela, ou seja, os caminhoneiros ganharam, mas mais uma vez não levaram", escreveram no documento assinado pelo presidente da Abrava (Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores), Wallace Landim, conhecido como Chorão.

A linha foi disponibilizada pelo governo em meio à ameaças de greve em abril de 2019 e oferecia R$ 500 milhões para a manutenção de veículos e compra de pneus. Uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo mostrou que o BNDES liberou, em dois anos, só R$ 6 milhões, ou seja, 1,2% do total.

"Ante a impossibilidade de os caminhoneiros acessarem o crédito e como o prazo para isso está para se extinguir, solicitamos a manutenção/extensão do BNDES Crédito Caminhoneiro", diz a Abrava no documento endereçado a Guedes.

Chorão, que tem mantido interlocução com o governo também por meio do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, diz ainda que a categoria continua aberta ao diálogo para encontrar "uma solução" para os trabalhadores do transporte.

"A extensão do programa de crédito dará ao caminhoneiro autônomo a possibilidade de respirar, bem como se manter mais seguro nas estradas brasileiras", diz a nota.

Procurado, o Ministério da Economia disse que "não comenta medidas não anunciadas".