PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bolsonaro passa por exames em Brasília e reunião com Poderes é cancelada

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

e Lucas Valença, Do UOL, em Brasília

14/07/2021 08h22Atualizada em 14/07/2021 18h21

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está sendo submetido a uma série de exames na manhã de hoje no HFA (Hospital das Forças Armadas), em Brasília.

A assessoria de imprensa do Planalto divulgou, por volta das 8h40, uma nota oficial confirmando que o presidente, por orientação de sua equipe médica, deu entrada no HFA, em Brasília, nesta quarta-feira (14), para a realização de exames para investigar a causa dos soluços. Ele tem apresentado nos últimos dias um quadro de soluço persistente e se queixado de incômodo.

Por orientação médica, o presidente ficará sob observação, no período de 24 a 48 horas, não necessariamente no hospital. Ele está animado e passa bem.
Nota assinada pela Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social)

A agenda do presidente, hoje, previa uma reunião entre os três Poderes —Executivo, Legislativo e Judiciário—, que tinha como objetivo estabelecer diretrizes que garantam os princípios e a estabilidade da democracia. Nas últimas semanas, Bolsonaro tem atacado o Judiciário, questionado o sistema eleitoral, e também criticado a CPI da Covid, do Senado.

Antes mesmo da nota do Planalto sobre a ida de Bolsonaro ao hospital, a assessoria do STF (Supremo Tribunal Federal) já havia informado, sem explicar o motivo, que a reunião havia sido "cancelada". "O encontro será oportunamente reagendado".

A assessoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse também que "todas as agendas foram canceladas".

Possibilidade de cirurgia?

Segundo fontes, ainda não está definido se o presidente deve se submeter agora a cirurgia para correção de uma hérnia que se formou no abdome. Bolsonaro vinha adiando o que seria a 7ª cirurgia desde a facada em 2018.

Em abril deste ano, durante conversa com apoiadores, o presidente já havia afirmado que teria que fazer esse procedimento em algum momento.

"Talvez, neste ano, mais umazinha [cirurgia]. Mas é tranquilo, de hérnia. Eu tenho uma tela aqui na frente. Está saindo o bucho pelo lado. Então, tenho que colocar uma tela do lado também", afirmou.

Auxiliares de Bolsonaro afirmaram que a avaliação médica para decidir se o presidente será novamente submetido a uma cirurgia deveria ficar sob a responsabilidade do Doutor Ricardo Peixoto Camarinha. Apesar disso, o cirurgião Antônio Luiz Macedo, que operou Jair Bolsonaro em 2018 após a facada, foi chamado a Brasília para também examinar o presidente.

Histórico de cirurgias

No dia 6 de setembro de 2018 o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro sofre um ferimento de uma facada ao participar de um ato político. Bolsonaro foi submetido à primeira cirurgia pós atentado.

Uma semana depois, o presidente volta a ser submetido a uma nova cirurgia de emergência após médicos constataram uma obstrução do intestino delgado.

O terceiro procedimento ocorreu após a posse presidencial. No dia 28 de janeiro de 2019, Bolsonaro retira da bolsa de colostomia que foi colocada na primeira cirurgia.

Um ano depois da primeira cirurgia, no dia 8 de setembro, o presidente passa pelo quarto procedimento para corrigir a hérnia, após uma cicatrização inadequada do ferimento causado pela facada.

Em janeiro do ano passado, porém, exames médicos apontaram a necessidade de corrigir procedimentos anteriores.

Em setembro de 2020, o presidente passa por uma cirurgia mais simples e retira um cálculo da bexiga.

A recente crise de soluços do presidente, contudo, pode levar os médicos a fazer uma sétima cirurgia no presidente da República.