PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bolsonaro escolhe Bruno Bianco, ex-secretário de Guedes, como novo AGU

Bolsonaro com Paulo Guedes e Bruno Bianco: escolha coincide com aumento de frentes de investigação contra presidente no STF e na Justiça Eleitoral - Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro com Paulo Guedes e Bruno Bianco: escolha coincide com aumento de frentes de investigação contra presidente no STF e na Justiça Eleitoral Imagem: Marcos Corrêa/PR
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

05/08/2021 13h56Atualizada em 05/08/2021 15h21

Em um dos momentos de maior tensão entre o Palácio do Planalto e o poder Judiciário, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) escolheu o seu novo ministro da AGU (Advocacia-Geral da União).

O escolhido para o cargo é o ex-secretário Especial da Previdência e Trabalho, Bruno Bianco. A informação havia sido antecipada pela coluna por três fontes do governo e foi oficializada nesta tarde pelo presidente em suas redes sociais.

A escolha de Bianco, que não esconde publicamente sua admiração ao presidente, acontece no momento em que aumentam as frentes de investigação contra Bolsonaro no STF e na Justiça Eleitoral.

Nesta semana, o presidente foi incluído no inquérito das fake news, que tramita no STF, além de ser investigado por suposta prevaricação no caso das tratativas para compra da Covaxin e por supostamente ter tentado interferir na autonomia da PF para blindar aliados de investigação.

O novo ministro será o responsável por traçar a linha de defesa e a estratégia jurídica do Planalto, além de interlocução com os tribunais superiores.

Bianco também usou as redes sociais para agradecer a Bolsonaro pela indicação. "Agradeço ao pr.@jairbolsonaro pela confiança. Juntos aprovamos a Nova Previdência, fizemos O BEm, preservamos empregos e renda. E agora uma nova missão, muito me honra assumir a
@AdvocaciaGeral!", escreveu.

Bianco vai substituir o ministro André Mendonça, que foi indicado pelo presidente para uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal) e ainda será sabatinado pelo Senado.

Nova derrota de Guedes?

Bruno Bianco tinha sido nomeado no último dia 28 como secretário-executivo do novo Ministério do Trabalho, recriado recentemente pelo presidente e sob o comando do ministro Onyx Lorenzoni.

Ao perder a pasta transformada em ministério, o ministro Paulo Guedes, tinha acordado com o presidente que Bianco seria o número dois de Onyx.

A ideia, segundo interlocutores da Economia, era de que houvesse uma continuidade nos trabalhados elaborados por Guedes. Além disso, há a possibilidade de a pasta retornar à Economia, caso Onxy seja candidato no ano que vem, o que o obrigaria a deixar o cargo em abril.

Apesar disso, auxiliares minimizam uma nova derrota de Guedes e dizem que o ministro foi informado e concordou com a escolha de Bianco para a AGU.

Bianco é procurador federal, ou seja, profissional da AGU, e ao assumir a pasta chega no topo da carreira.

O ex-secretário ganhou a confiança do presidente nos últimos anos e despachava diretamente com Bolsonaro com frequência.

PUBLICIDADE