PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mourão confirma convite do PP, mas diz que aguardará definição de Bolsonaro

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

e Fabíola Cidral, do UOL em Brasília

17/11/2021 15h34

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, em entrevista ao UOL, que o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, o convidou para se filiar ao PP, mas disse que só decidirá o seu futuro político após a definição do presidente Jair Bolsonaro.

Mourão, que ainda é filiado ao PRTB, disse que seu partido vive uma situação delicada e que não está acostumado com o troca-troca de siglas.
"O PRTB vive uma situação complicada. E aí também entra aquela toda a minha bagagem pregressa. Eu não estou acostumado a troca de partido como a maioria dos políticos faz. Igual jogador de futebol. Hoje eu beijo escudo do Flamengo, amanhã do Vasco. E segue o baile", disse o vice-presidente que é torcedor assumido do Flamengo.

Para Mourão, essas mudanças de siglas na véspera da eleição são constrangedoras.

"Isso ainda me constrange. O partido (PRTB) ainda vive um momento delicado. Não venceu a cláusula de barreira nas últimas eleições, a liderança principal do partido, que era o seu presidente, Levy Fidelix, faleceu no primeiro semestre. Eu vejo que ainda preciso ajudar as pessoas de bem que estão lá no partido", disse.

Apesar disso, Mourão admitiu que deve avaliar os convites que têm recebido de outros partidos.

"O Ciro Nogueira me convidou, já conversou comigo para que eu ingressasse no PP. É exatamente esse constrangimento que eu ainda tenho", afirmou.

Esperança de continuar vice?

Apesar de diversas demonstrações por parte de Bolsonaro de que deve buscar outro vice para as eleições em 2022, Mourão afirmou que ainda vai esperar a definição da chapa do presidente, reconheceu que não houve o convite para que ele permaneça na chapa, mas que prefere aguardar para definir o seu futuro político.

"Eu não tomei essa decisão ainda porque é uma decisão complicada. Ela está muito ligada a qual será efetivamente a decisão do presidente Bolsonaro em relação à chapa da reeleição dele. Porque até agora ele não fechou a porta para mim. E a minha visão sempre é que poderá chegar a um momento que ele precise de mim. Eu estou aguardando o máximo possível para postergar essa decisão", disse.

Mourão usou um jargão militar para dizer que está na expectativa. "Em nenhum momento houve aquela afirmação de que 'você vai comigo'. Ou 'você quer ir comigo?'. Também não aconteceu [o contrário]. Ou seja, está no seja a seja. É aquilo que a gente em linguagem militar chama de 'dispositivo de expectativa'", afirmou.

Segundo o vice-presidente, após a definição do presidente, a primeira decisão que ele tomará será sobre sua permanência na vida política. "Eu tenho que ver: vou continuar na vida política? É o primeiro gráfico que você faz. Ah, sim. Então, por qual partido? Está escolhido o partido, agora, onde que eu vou ser candidato?", declarou Mourão, admitindo que sua preferência no momento é concorrer por uma vaga ao Senado.

PUBLICIDADE