ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empregos e carreiras

Não mande embora pelo telefone, como fez Dilma; 7 dicas para saber demitir

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

15/10/2015 06h00

Em tempos de crise econômica, sobram cortes de empregos nas empresas. Comunicar a demissão ao funcionário cabe aos chefes ou profissionais de RH, que nem sempre tomam os cuidados necessários nessa hora difícil.

Na última terça-feira (13), um funcionário da rede social Twitter afirmou que não conseguiu acessar seu e-mail corporativo, e assim ficou sabendo que estava entre os cortes da empresa. No final do mês passado, o então ministro da Saúde, Arthur Chioro, soube que estava fora do cargo por um telefonema da presidente Dilma Rousseff.

Essas práticas são desaconselhadas por especialistas. Um dos pontos básicos é que o aviso da demissão deve ser feito cara a cara.

Lucia Costa, diretora de transição de carreira da Stato, consultoria de gestão de carreiras, lista sete orientações para conduzir a demissão de maneira ética e correta, preservando o profissional e a empresa.

1 - Assuma a responsabilidade

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---seja-objetivo-1444844026299.vm')

Elabore um discurso racional da razão da demissão e não fuja da responsabilidade. Frases como "eu não queria, mas cumpro ordens" ou "fui voto vencido" mostram fraqueza do líder e expõem a companhia. Contextualize a situação, comunique o desligamento e diga que a escolha foi sua (ou também foi sua).

2 - Evite discussões

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---evite-discussoes-1444843830370.vm')

Caso o profissional não aceite a demissão, não discuta, fique calmo e repita o discurso da razão do desligamento. Ouça o funcionário com compreensão, aceite seus sentimentos, responda com atenção suas indagações, mas comunique a demissão.

3 - Seja objetivo

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---seja-objetivo-correto-1444846100639.vm')

Justifique racionalmente a demissão, mas não é o momento para analisar resultados ou dar feedbacks de desempenho e comportamentais. O discurso deve ser objetivo, claro. Não prolongue a conversa e torne a situação mais difícil do que já é para o profissional.

Trata-se de um comunicado. É preciso frieza para não cair nessa armadilha.

O feedback precisa ser uma prática constante entre patrão e empregado. Assim, quando chega o momento da demissão, o profissional já deve ter percebido seu cenário na empresa. A demissão por desempenho não deve ser uma surpresa.

4 - Não diga que lamenta

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---nao-diga-que-lamenta-1444845989210.vm')

Não diga que lamenta a demissão ou que sabe como ele se sente. Esse é um momento duro e isso só alimenta sentimentos negativos.

5 - Tenha uma testemunha

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---testemunha-1444846681493.vm')

Cada empresa tem uma cultura, mas é recomendável que um desligamento seja realizado individualmente, com ao menos uma testemunha, do RH.

6 - Demita no começo da semana e de manhã

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---demita-de-manha-1444846645996.vm')

É desejável que o desligamento ocorra em um começo de semana, no período da manhã. Jamais próximo ou em uma data comemorativa

7 - Indique para outro trabalho só depois da demissão

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/carreira---indicacao-1444846564569.vm')

Se você pode e quer indicar esse profissional para outro trabalho, faça isso.

Mas não diga isso no momento da demissão. Fica parecendo pena. Aguarde uma oportunidade posterior.

Mais Empregos e carreiras