PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Empregos e carreiras

Cresce procura por profissionais no agronegócio; salário chega a R$ 60 mil

Agrotechs e agrofintechs estão crescendo e precisam de líderes experientes - Getty Images/iStockphoto/lamyai
Agrotechs e agrofintechs estão crescendo e precisam de líderes experientes Imagem: Getty Images/iStockphoto/lamyai

Colaboração para o UOL

07/04/2021 15h42

O agronegócio tem expectativa de crescimento em 2021, por isso há uma grande procura por profissionais capazes de liderar grandes projetos, principalmente na área de finanças. Essa conclusão é de um estudo feito pela Michael Page, empresa de recrutamento executivo de média e alta gestão.

Essa necessidade de profissionais no agronegócio se deve à adoção de novas tecnologias, com chegada de startups voltadas ao setor. O estudo aponta que, em 2020, já houve um crescimento de 30% na contratação de executivos mais sêniores, principalmente para a área de finanças.

O salário varia de acordo com a função, mas pode chegar a R$ 60 mil. Entre os cargos mais buscados aparecem coordenador de crédito (R$ 9.000 a R$ 15 mil), coordenador de saúde, segurança e meio ambiente (R$ 9.000 a R$ 13 mil), diretor de relações com investidores (R$ 30 mil a R$ 60 mil) e gerente de vendas e soluções (R$ 13 mil a R$ 16 mil + remuneração variável).

Stephano Dedini, gerente executivo da Michael Page, diz que a grande procura por esses executivos é impulsionada pela necessidade de mais experiência.

"Elas devem acelerar a maturidade e implementação de novas tecnologias no setor. Toda a estrutura de crédito e tesouraria do setor deve ficar mais robusta para financiar o crescimento e desenvolvimento das operações. Além disso, posições focadas em sustentabilidade, relações institucionais, compliance e governança corporativa e relacionamento com o mercado de capitais também devem ganhar volume", afirmou.

Ele também disse que o momento do país é favorável para essas contratações. "O Brasil tem tudo para ser um dos grandes protagonistas mundiais no desenvolvimento de tecnologias e melhoria de produtividade para o setor."

Confira a relação dos cargos em alta no agronegócio:

Coordenador de saúde, segurança e meio ambiente

O que faz: responsável pela estrutura de saúde, segurança e meio ambiente das empresas. Atua garantindo que a cultura de segurança seja seguida do mais alto nível até o chão de fábrica, capacitando e promovendo treinamentos. Nesse sentido assegurar que as normas e leis de meio ambiente sejam devidamente seguidas.

Perfil da vaga: experiência em liderança de equipes é obrigatório, pois irá contar com times maiores que 12 pessoas em diferentes áreas. Além disso, conhecimento das principais normas regulamentadoras, atuação direta com o ISO 9001, ISO 14001 e ISO 45001, conhecimento técnico, proativo e dinâmico.

Salário: de R$ 9.000 a R$ 13 mil

Coordenador de suprimentos

O que faz: responsável pela ligação entre as estratégias do setor de compras e o operacional. Esse profissional conduz as negociações e as buscas de novos fornecedores e alternativas no mercado para rentabilizar a verba da área. Também mantém interface com as áreas de produção e logística e planeja o fluxo de compras em curto, médio e longo prazo.

Perfil da vaga: realiza o mapeamento dos processos e normativas em compras e garante a padronização. Avalia curva ABC (categorização de estoque) e desempenho dos fornecedores. É responsável por negociar e garantir as métricas de eficiência em compras e o tempo desde o pedido até a entrega dos produtos ao cliente.

Salário: de R$ 9.000 a R$ 12 mil

Gerente de vendas em soluções

O que faz: gere a carteira de vendas de determinadas regiões e desenvolve novas soluções e produtos com o cliente, incluindo a gestão do time pela atuação de ponta (vendedores, representantes ou um time híbrido). É comum encontrar estruturas em que esse profissional é o ponto de relacionamento junto aos canais de distribuição, realizando a ponte com o fabricante, suporte as vendas, gestão por influência e suporte a treinamentos ao time do parceiro.

Perfil da vaga: Profissionais com alta capacidade de liderança, boa comunicação e dinamismo. Na maioria dos casos, é requisito obrigatório a formação acadêmica técnica na área, como por exemplo, agronomia, zootecnia e correlatas. Precisam ter a capacidade de transitar em ambientes corporativos, para o desenvolvimento de estratégias e vivenciar o agronegócio junto a pequenos produtores e trabalhar a aplicação de soluções no cliente.

Salário: de R$ 13 mil a R$ 16 mil + remuneração variável.

Coordenador de crédito

O que faz: gere a estrutura de análises de crédito de clientes e fornecedores de alta complexidade, seguindo a política e os procedimentos de crédito. Possui alta interação com o corporativo e são responsáveis pela elaboração de análises financeiras e econômicas com o objetivo de conceder o limite de crédito solicitado.

Perfil da vaga: profissional deve possuir expertise em garantias, como hipoteca, penhor, finanças pessoais e CPR, além de excelentes "soft skills" (habilidades comportamentais ou emocionais) para liderar especialistas e sêniores. Um diferencial é o inglês avançado e conhecimentos em sistemas de SAP e agrométrika.

Salário: R$ 9.000 e R$ 15 mil

Diretor de relações com investidores

O que faz: responsável direto pelo relacionamento da empresa com o mercado. Normalmente é o profissional que tem acesso à realidade financeira da empresa, potenciais estratégias para alavancar resultados a curto prazo e sabe passar essa informação aos interessados.

Perfil da vaga: É importante para esse profissional conhecimento técnico em planejamento de áreas, como o planejamento financeiro ou a tesouraria. Além disso, competência na comunicação e relacionamento interpessoal é fundamental para o cargo. Com equipes mais enxutas do que outras estruturas de finanças, deve prezar mais por ter profissionais mais sêniores e experientes.

Salário: de R$ 30 mil a R$ 60 mil

Coordenador de silvicultura

O que faz: responsável pela gestão dos tratos silviculturais, com especialidade em melhoramento genético de mudas de madeiras nobres, nutrição de solos e combate às pragas. Deve também lançar novas tecnologias de medição dendrométricas e de mapeamento de inventários por meio de ferramentas automáticas e georreferenciáveis.

Perfil da vaga: Liderança de equipes boa comunicação e criatividade. Além disso, conhecimento técnico focado em Silvicultura, com experiência em desenvolvimento de novas tecnologias no setor florestal.

Salário: de R$ 15 mil a R$ 20 mil.

Empregos e carreiras