PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Cashback vale a pena? O que é e o que está por trás do 'dinheiro de volta'

Saiba o que é o cashback, como funciona e mais - Divulgação
Saiba o que é o cashback, como funciona e mais Imagem: Divulgação

Gabrielle Pedro

Colaboração para UOL

21/09/2021 04h00

A ideia de poder fazer compras online sabendo que você terá parte do dinheiro gasto de volta na conta parece impossível? Não é mais: esse tipo de serviço, mais conhecido como cashback, existe e está ganhando cada vez mais força no Brasil.

Com o crescimento das compras feitas pela internet, empresas e bancos passaram a ofertar aos consumidores o serviço de cashback (palavra inglesa que literalmente significa "dinheiro de volta"). O objetivo é fazer os clientes acumularem uma espécie de crédito a partir da compra de alguns produtos e posteriormente ter esse dinheiro de volta - seja na conta ou como crédito para compra de outros produtos.

Antes que você se aventure pela internet em busca de sites que disponibilizam o cashback, o UOL preparou um guia completo respondendo as principais dúvidas sobre o assunto.

Cashback: o que é? Vale a pena? Como funciona?

O que é cashback?

Como explicado acima, cashback é uma palavra que vem do inglês e que significa, literalmente, "dinheiro de volta". Nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, estes programas começaram nos anos 90 e atualmente são muito comuns aos clientes de empresas de cartão de crédito.

Aqui no Brasil, empresas como Méliuz, Ame Digital, PagBank, Poup e PicPay são grades conhecidas pelos fãs do cashback.

Quais são os tipos de cashback?

É importante ficar atento aos diferentes tipos de cashbacks. Alguns, por exemplo, permitem que você realmente receba o dinheiro de volta na sua conta. Já outros permitem apenas que o dinheiro fique armazenado em uma espécie de "carteira digital" que poderá ser usada para abater o valor de futuras compras. É importante ver o tipo de cashback em cada serviço para entender qual vale a pena para você.

Existe ainda o "cashback social". Este segundo contempla mais as empresas que querem mostrar o seu valor social aos clientes, pois ao invés de retornar parte dos gastos aos consumidores eles destinam a verba às instituições carentes. A pessoa pode indicar qual órgão ela quer ajudar, seja para crianças, idosos ou animais, e o dinheiro é transferido para o setor responsável.

Quem começou a aplicar cashback pela primeira vez?

A primeira empresa a trabalhar com o esquema de reembolso foi a Ebates, fundada em 1998 por ex-procuradores distritais. Anos depois, a empresa foi vendida para a empresa de comércio eletrônico japonesa Rakuten e hoje possui o nome Rakuten Rewards.

Aqui no Brasil esse pioneirismo é dado à Méliuz. A empresa trouxe o conceito ao país em 2011 e passou a ser mais conhecida em 2019. O objetivo principal era implementar no mercado um modelo de recompensa mais vantajoso que os programas de fidelidade e pontos vigentes.

Como funciona o cashback?

Algo que é necessário se atentar é que o cashback devolve parte do dinheiro gasto ao consumidor. Ou seja, nem sempre essa devolução será integral. Claro, existem exceções e algumas empresas podem te retornar 100% do valor.

Essa devolução é normalmente calculada sobre uma porcentagem que varia de empresa para empresa. Algumas ofertam 0,5% ou até 100% do seu dinheiro de volta. Tudo depende do site que disponibiliza esse serviço, das lojas parceiras e de quais produtos foram selecionados.

Entretanto, de certo modo, o cashback funciona como uma espécie de incentivo à compra, pois já que os clientes terão parte do dinheiro de volta, aquele produto acaba saindo mais barato ao consumidor.

Por exemplo, se um comprador paga R$ 500 em uma fritadeira elétrica e a plataforma diz que ele terá 30% do seu dinheiro de volta, a fritadeira sairá por R$ 350. No final das contas, isso faz o cliente perceber que está gastando menos, como uma forma de desconto.

Se as empresas devolvem o dinheiro, o que elas ganham com isso?

Não se engane achando que as empresas estão perdendo ao devolver parte do seu dinheiro. O cashback pode impulsionar, e muito, a visibilidade dos comércios que passam a anunciar em grandes plataformas que fornecem esse serviço. Sendo assim, elas conseguem atingir mais pessoas, que podem se tornar futuros clientes.

Se o atendimento for bom e o usuário ver valor no serviço com o benefício extra de ter o dinheiro de volta, estes consumidores criam um vínculo de fidelidade com as lojas - o que pode, a longo prazo, trazer mais lucros do que prejuízos para quem faz a ação.

Cashback é seguro?

Como tudo que envolve dinheiro, é necessário checar tudo antes de se fazer qualquer transação financeira. Certifique-se sobre a credibilidade do site que estará usando e as porcentagens descritas de devolução.

Outro ponto a se destacar é: controle os seus gastos. Não é porque a empresa está te devolvendo o dinheiro que você deve fazer compras absurdas que talvez nem precise. Calcule o preço e bônus ofertado para ver se realmente vale a pena.

Que sites, lojas e serviços costumam oferecer cashback?

Quando se fala em cashback, alguns sites são grandes referências no assunto. Entre eles, se destacam: Méliuz, Beblue, Ame Digital, My World, Mooba e Livelo. Este último é um programa de recompensas, mas que oferece o recurso de retornar seu dinheiro a partir do acúmulo de pontos.

Além delas, PagBank, PicPay e Banco Inter, instituições financeiras, incorporaram o cashback ao seu leque de serviços.

Como funciona o cashback do Méliuz?

Atualmente, a Méliuz é a maior empresa de cashback do Brasil. Ela conta com mais de 1.600 lojas parceiras, que vão de grandes varejistas até pequenos empreendimentos online, que pagam para anunciar seus produtos no aplicativo.

O app disponibiliza dois métodos para recuperar seu dinheiro: online ou em lojas físicas. Após acumular R$ 20 de saldo disponível, já é possível solicitar o resgate do valor na sua conta, seja ela poupança ou até mesmo corrente. Segundo eles, essa transferência não tem nenhum custo adicional.

Após isso, quando se trata de compras digitais, é preciso procurar a loja desejada pelo app, ativar o dinheiro de volta e fazer a compra no site da loja, a partir da aba aberta do Méliuz.

Já nas lojas físicas, é necessário fazer o cadastro na plataforma, informar, no momento da compra, que você é usuário Méliuz e solicitar um meio de pagamento credenciado pela empresa para realizar o pagamento. Entretanto, é preciso ter acumulado o saldo confirmado mínimo de R$ 20 em sua conta, atentando-se para a hipótese de expiração do saldo.

Como funciona o cashback do PagBank?

No PagBank, existem algumas possibilidades de ganhar cashback:

  • Abastecendo nos postos Shell
  • Comprando no Shopping PagBank
  • Pagando contas ou boletos de consumo em até 12 vezes com cartão de crédito de qualquer banco (veja todas as concessionárias participantes aqui)
  • Pagando compras com QR Code em lojas parceiras
  • Recarregando o celular pelas operadoras participantes: Claro, Oi, Tim e Vivo
  • Pagando serviços de assinatura (Google Play, Spotify e Uber) com o PagBank

No pagamento de contas, por exemplo, quanto maior o número de parcelas, maior o cashback. O maior retorno é no pagamento de 10 a 12 vezes, de 16% do valor, limitado a R$ 600.

Como funciona o cashback da Ame Digital

Para se cadastrar no app, basta preencher todos os seus dados básicos. Depois disso, para fazer uma compra utilizando o aplicativo, é preciso escolher entre o próprio saldo do software ou seu cartão de crédito cadastrado.

Quando você faz um pagamento pelo app da Ame em uma das lojas e estabelecimentos parceiros, parte do valor dos produtos selecionados volta para você. Esse valor será informado de diversas maneiras: no site da loja parceira - no momento do fechamento da compra -, no extrato da conta Ame, e em detalhe da compra.

Nas compras online, você recebe seu cashback em até 30 dias corridos após a entrega do produto. Já para compras feitas em lojas físicas, o benefício fica disponível em 7 dias corridos automaticamente na conta Ame.

Como funciona o cashback do PicPay?

O sistema do PicPay funciona a partir de algum pagamento feito, em que você recebe uma porcentagem mínima do valor retirado da sua conta. O valor economizado fica de saldo na sua carteira e pode ser utilizado para pagar outras pessoas e contas.

Atualmente, o PicPay fornece um cashback de até de 5% do dinheiro gasto em compras online utilizando o cartão de crédito, em que é possível recuperar o valor máximo de até R$ 50.

A partir do dia 3 de setembro os clientes poderão receber cashback em dobro devido a uma nova campanha promocional. Assim sendo, o crédito passa a ser de 10% e o valor máximo é de R$ 100 a cada mês de compras. Essa ação encerrará no dia 5 de novembro deste ano.

Como funciona o cashback do Banco Inter?

No banco Inter é possível ganhar cashback comprando no Inter Shop, uma plataforma que conta com mais de 200 lojas podendo devolver até 20% do seu dinheiro. Ao comprar no site da loja, você pode utilizar os métodos de pagamento aceitos pelo parceiro - o mesmo é válido para não clientes que fizeram a compra pelo site. Ou seja, não precisa ser correntista para ter direito ao cashback.

Outro modo de obter esse benefício é com o seu cartão de crédito Inter. De acordo com a instituição, colocando sua fatura em débito automático, você recebe uma porcentagem do valor gasto no cartão de crédito de volta na sua conta, em até 6 dias.

A empresa também disponibiliza o cashback aos clientes que investirem em fundos que têm o selo de cashback. O Inter divide com o investidor a receita de distribuição.

Guia de Economia

Guia de Economia