Topo

Guia de Economia


CPF: o que é, para que serve e como tirar o seu

2019-02-18T16:06:37

18/02/2019 16h06

O CPF é um documento com uma numeração de 11 dígitos que serve para identificar os contribuintes --por exemplo, no Imposto de Renda, para abrir conta em banco ou solicitar cartão de crédito.

Para que serve o CPF?

A principal função é servir de identificação dos contribuintes no Imposto de Renda. A partir de 2019, ele será obrigatório para dependentes de qualquer idade. 

Mas o CPF não serve só isso. Se você quiser prestar concurso público, abrir conta em banco, pegar empréstimos, financiamentos e cartão de crédito, obter carteira de trabalho e passaporte, vai precisar ter o seu.

Leia também:

Não existe mais cartão de plástico

Os cartões de plástico deixaram de ser emitidos em 2011. Desde então, o comprovante de CPF passou a ser virtual. Quem precisar, pode imprimir um comprovante de inscrição no CPF pela internet. O comprovante também pode ser emitido e armazenado no celular usando o aplicativo Pessoa Física (disponível para Android e iOS).

CPF ao sair da maternidade

Desde o final de 2017, o CPF passou a ser incluído em todas as certidões de nascimento, casamento e óbito. Assim, os bebês já devem sair da maternidade com o número de CPF incluído no registro. A iniciativa começou no estado de São Paulo, em 2015.

Onde e como tirar o CPF

Para quem não saiu da maternidade com o CPF na certidão de nascimento, veja como tirar o documento. 

Agências do Banco do Brasil, da Caixa ou dos Correios

  • Quem pode tirar: brasileiro e estrangeiro residentes no Brasil
  • Quando: de segunda a sexta-feira; não funcionam aos sábados, domingos e feriados
  • Preço: R$ 7
  • O que levar (documentos originais ou cópias autenticadas): RG ou certidão de nascimento e título de eleitor (entre 18 e 69 anos) e documento de um dos pais ou do responsável legal (no caso de menor de idade)

Entidades conveniadas 

  • Veja entidades que prestam serviço grátis de CPF
  • Quem pode tirar: brasileiro residente no Brasil
  • Quanto custa: grátis
  • O que levar (documentos originais ou cópias autenticadas): RG ou certidão de nascimento e título de eleitor regular (para pessoas com idade entre 18 e 69 anos) e documento de um dos pais ou do responsável legal (no caso de menor de idade).

Site da Receita

  • Visite o site da Receita Federal
  • Quem pode tirar: brasileiro maior de 16 anos e menor de 25 anos que já possua o título de eleitor
  • Quanto custa: grátis

Como mudar o endereço cadastrado

Quem já tem CPF e precisa mudar o endereço cadastrado pode fazer isso gratuitamente pela internet

Como tirar CPF se está no exterior

Brasileiros que morem ou estejam no exterior e cidadãos estrangeiros que estejam fora do Brasil e precisem tirar o CPF (para ter negócios no país, por exemplo) têm regras específicas. Eles podem ser atendidos em representações diplomáticas brasileiras. É grátis.

Brasileiros 

É preciso levar os seguintes documentos originais ou cópias autenticadas: RG ou certidão de nascimento e título de eleitor (entre 18 e 69 anos), documento de um dos pais ou do responsável legal (no caso de menor de idade) e o formulário Ficha Cadastral de Pessoa Física preenchido. 

Estrangeiros

Deve apresentar documento de identificação com validade no seu país de residência (como passaporte). O estrangeiro residente do Brasil ou em trânsito no país consegue o documento no site da Receita. É grátis. 

Brasileiro que mora no exterior, mas está no Brasil

O brasileiro que mora no exterior, mas está no Brasil, pode ir às unidades da Receita. É grátis. É preciso levar os seguintes documentos originais ou cópias autenticadas: RG ou certidão de nascimento, título de eleitor e documento de um dos pais ou do responsável legal (no caso de menor de idade).

Como tirar CPF para mortos

Eventualmente, para questões legais, é preciso conseguir CPF de pessoas falecidas. Nesse caso, o atendimento é nas unidades da Receita, e deve-se levar, além dos documentos já citados, também atestado de óbito, documento que comprove a necessidade de obter o CPF e documento de identificação do inventariante, cônjuge meeiro, convivente ou do sucessor (no caso de pessoa falecida com bens a inventariar) ou documento de identificação que comprove o parentesco (no caso de pessoa falecida sem bens a inventariar).

Fontes: Receita Federal, Serasa

(Reportagem de Cláudia Varella, colaboração para o UOL, em São Paulo)

Mais Guia de Economia