Bolsas

Câmbio

Disney inaugura em Xangai primeiro parque de diversões da China continental

Em Xangai

O império Disney inaugura esta quinta-feira (16), em Xangai, seu primeiro parque de diversões da China continental, apostando no desejo da classe média por entretenimento, apesar da recessão da segunda economia mundial.

O complexo de US$ 5 bilhões (4,455 bilhões de euros) tem o maior castelo da Disney do mundo.

A Disney pretende seduzir os chineses com um passeio no barco dos "Piratas do Caribe", um espetáculo de "Frozen" e uma atração de "Star Wars".

O projeto teve início em 1999, mas foi suspenso durante um tempo para que Hong Kong, região administrativa especial da China, pudesse abrir o seu parque em 2005.

O presidente da Disney, Bob Iger, relançou o projeto em abril de 2011, com a promessa de transformá-lo em um "referencial significativo" na história do grupo.

A inauguração acontece em um contexto difícil, já que a economia chinesa acaba de registrar seu crescimento econômico mais fraco nos últimos 25 anos e, segundo as projeções, continuará desacelerando em 2016.

Os indicadores negativos não desanimam a Disney, que está confiante de que a classe média chinesa será seduzida pelas atrações e encherá hotéis, restaurantes e lojas do complexo.

Sucesso dos parques na China

Os parques de diversões crescem mais rapidamente na China do que em qualquer outro país, com mais de 300 projetos financiados nos últimos anos, segundo o National Business Daily.

Além da Disney, a Universal Pictures (em Pequim) e a DreamWorks (em Xangai) também pretendem abrir seus parques.

Ainda assim, o milionário chinês Wang Jianlin inaugurou em maio o primeiro parque de diversões do grupo empresarial Wanda.

O magnata criticou "a invasão" cultural da Disney poucos dias antes da inauguração de seu "Wanda City" em Nanchang, a 600 km de Xangai.

"A loucura em torno de Mickey e Pato Donald já passou, a época em que imitávamos a Disney cegamente já é passado", disse Wang, que comprou em janeiro um estúdio hollywoodiense Legendary (Jurassic World, Godzilla e Batman) por US$ 3,5 bilhões.

Apesar das agressivas declarações de seu concorrente chinês, o parque da Disney, com sua imagem internacional e seus personagens conhecidos por todas as gerações, beneficia a indústria turística de Xangai, capital econômica do país.

Xangai finalmente estendeu o tapete vermelho à Disney, cujo sócio é o grupo estatal Shanghai Shendi, construindo infraestruturas e mostrando sua determinação a combater qualquer violação da propriedade intelectual da empresa.

Antes de sua inauguração oficial, mais de um milhão de pessoas já tinham visitado a nova Disneyland, sua área de compras e de entretenimento.

Segundo os estudos realizados pela Disney, 330 milhões de pessoas vivem a três horas de Xangai e muitas delas estarão dispostas a pagar o preço da entrada: 499 yuans (US$ 75, 67 euros) na alta temporada e 370 yuans na baixa.

Na China, o salário mensal médio é de US$ 275, motivo pelo qual o preço pode ser inacessível para muitos.

"Algumas pessoas com rendas médias podem achar a Disney muito caro", declarou He Jianmin, professor da Universidade de Finanças e Economia de Xangai.

"O parque de Xangai tem o potencial para transformar na mais rentável das Disneylands", disse à AFP.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos