PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Câmara do DF quer fechamento do aeroporto de Brasília

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

16/03/2020 15h15Atualizada em 16/03/2020 15h53

Um ofício enviado ao presidente da Inframerica, Jorge Arruda, pede, em nome da Câmara Legislativa do Distrito Federal, o fechamento do aeroporto de Brasília por conta da pandemia de coronavírus. A Inframerica administra o aeroporto.

"Considerando a definição da Organização Mundial da Saúde (OMC) que classificou no dia 11 de março de 2020 o surto do novo coronavírus como uma pandemia e ainda que todos os casos diagnosticados no Distrito Federal são de pessoas que estiveram recentemente no exterior, solicito o fechamento do Aeroporto Internacional de Brasília Presidente Juscelino Kubitscheck tanto para pousos e descolagens de voos com procedência e destinos internacionais", diz o documento assinado pelo vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, deputado Delmasso.

O ofício pede ainda que todos os passageiros provenientes de voos vindos de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Belém e Manaus sejam submetidos à triagem pela Vigilância sanitária.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, tem estudado outras formas de evitar a contaminação na capital federal. Ele já solicitou por exemplo o fechamento de escolas e academias.

Segundo uma fonte do governo, há outras medidas em avaliação pelo governador, como implementar um rodízio para circulação de carros e instituir o teletrabalho nos órgãos do governo.

Em nota, a Inframerica disse que é preciso ter "cautela" e lembrou que "produtos farmacêuticos importados e equipamentos hospitalares, por exemplo, chegam ao país nos porões dos voos internacionais, e são distribuídos pelo país em voos domésticos".

Leia a íntegra da nota da empresa:

A Inframerica entende que todas as decisões e solicitações, especialmente neste momento, devem ser tomadas com muita cautela. Deve ser levado em conta que os produtos farmacêuticos importados e equipamentos hospitalares, por exemplo, chegam ao país nos porões dos voos internacionais, e são distribuídos pelo país em voos domésticos.

Importante ressaltar que a competência para legislar sobre a infraestrutura aeroportuária é da União, com quem temos um contrato de concessão. E não há nenhuma decisão dos órgãos federais neste sentido.

A prestação do serviço aeroportuário e as operações aéreas continuam ocorrendo normalmente.

A concessionária do Aeroporto de Brasília ressalta que já vem tomando medidas de prevenção no Terminal aéreo e esta semana recebe a parceria do Governo do Distrito Federal para novas medidas de prevenção da disseminação do COVID-19 na Capital, e, ao mesmo tempo, garantir conforto e segurança para aqueles que passam pelo terminal.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.