PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Coluna

Carla Araújo


Carla Araújo

Exército já produziu 3 milhões de comprimidos de cloroquina

 Jair Bolsonaro, presidente da república, segura uma caixa de Cloroquina nesta domingo (19) no Palácio da Alvorada  - MATEUS BONOMI/ ESTADÃO CONTEÚDO
Jair Bolsonaro, presidente da república, segura uma caixa de Cloroquina nesta domingo (19) no Palácio da Alvorada Imagem: MATEUS BONOMI/ ESTADÃO CONTEÚDO
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

23/07/2020 11h21

O Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército brasileiro já produziu até o presente momento 3 milhões de comprimidos de cloroquina 150 mg, de acordo com informações do Ministério da Defesa.

O remédio, que não tem eficácia científica comprovada, vem sendo usado pelo presidente Jair Bolsonaro como uma bandeira política no combate da doença.

Infectado com o coronavírus há mais de duas semanas, o presidente tem sido uma espécie de garoto-propaganda do medicamento.

Nesta semana, o presidente chegou a levantar a caixa do remédio para seus apoiadores da porta do Palácio da Alvorada, numa espécie de culto.

Comandante também exaltou medicamento

Ontem, em um vídeo com mensagem às tropas, o comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, listou as ações das Forças Armadas para minimizar os danos da pandemia e destacou o aumento da produção de cloroquina pelo laboratório do Exército.

Pujol destacou que o laboratório químico e farmacêutico do Exército "aumentou significativamente a produção de cloroquina e álcool em gel".

"Distribuímos para as nossas organizações militares de saúde, colocando-os à disposição do médico e dos pacientes", disse. "Com orgulho, informo que essa pronta resposta já recuperou milhares de integrantes da nossa família verde-oliva", completou.

De acordo com o Ministério da Defesa, já foram confirmados 10.812 casos de Covid entre os militares e, até o dia 21 de julho, foram registrados 23 óbitos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Carla Araújo