PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Quem recebe Bolsa Família não terá acesso a crédito do Caixa Tem

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

27/09/2021 12h15Atualizada em 27/09/2021 13h28

O programa de crédito da Caixa Econômica Federal, anunciado nesta segunda-feira (27) pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, não atenderá beneficiários do Bolsa Família. Segundo a instituição, o processo de atualização cadastral no CAIXA Tem, que é necessário para tomar o empréstimo, cancela o cartão do benefício Bolsa Família.

O presidente da Caixa também havia dito na cerimônia que os beneficiários do auxílio emergencial não seriam contemplados, mas a Caixa corrigiu a informação e disse que esse público pode sim utilizar do empréstimo.

"As pessoas que vão receber auxílio emergencial não terão esse crédito. Por quê? Porque elas não têm condições de pagar", disse o presidente da Caixa, durante o evento do anúncio que aconteceu no Palácio do Planalto. A informação, porém, está errada. A Caixa estima, inclusive, que 48 milhões de beneficiários do auxílio podem pegar o empréstimo.

Guimarães, que testou positivo para covid, participou por vídeo da cerimônia e, em alguns momentos de sua fala, chegou a chorar.

O presidente do banco disse ainda que o objetivo do governo do presidente Jair Bolsonaro "é ajudar quem precisa". "Seja via transferência de renda, com o Bolsa Família ou qualquer novo programa assistencial, seja o crédito, como o crédito Caixa Tem", afirmou.

Segundo Guimarães, com o andamento do programa será possível futuramente ampliar o programa de crédito e reduzir os juros. "Nós podemos aumentar o crédito e reduzir os juros a partir do momento que tenhamos conhecimento da capacidade das pessoas de emprestar", disse.

A linha anunciada hoje oferece crédito de R$ 300 a R$ 1 mil, com taxa de juros de 3,99% ao mês. "Esse será o primeiro crédito bancário de dezenas de milhões de pessoas", afirmou Guimarães.

Outros programas

Apesar de o crédito não ser oferecido para beneficiários do Bolsa Família, beneficiários dos demais programas sociais podem contratar o empréstimo, se aprovados pela análise de crédito da Caixa.

Poderão solicitar o solicitar o empréstimo os beneficiários do Auxílio Emergencial, do Saque FGTS, do Seguro Desemprego, do Abono Salarial e benefícios regionais.

A Caixa informa, porém, que a lei não permite que as parcelas do empréstimo sejam debitadas do benefício oriundo de repasses sociais.

Por isso, segundo o banco, o usuário que contratar o crédito terá que depositar o valor da parcela do empréstimo na conta CAIXA Tem.

PUBLICIDADE
Errata: o texto foi atualizado
O presidente da Caixa havia dito que o crédito não seria oferecido para beneficiários do auxílio emergencial, mas a Caixa Econômica Federal disse que a informação está errada e o cidadão que recebe auxílio poderá ter acesso ao financiamento. A informação foi corrigida.