Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Ibovespa hoje: Mercado acompanha dados da Europa e ata do BCE nesta quinta

Esta é a versão online da newsletter Por Dentro da Bolsa enviada hoje (23). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

No Brasil, o mercado deve acompanhar os dados divulgados na Europa, além da Ata do BCE, nesta quinta-feira (23). O Ibovespa seguiu renovando as máximas do ano ontem, apesar das notícias negativas em relação ao cenário fiscal brasileiro. Ontem, tivemos os ministérios do Planejamento e Orçamento e da Fazenda revisando as projeções para o déficit primário do governo em 2023. As projeções elevaram o déficit de R$ 141,4 bilhões para R$ 177,4 bilhões, o que representa 1,7% do PIB. Ainda na esfera política, a Câmara dos Deputados sugeriu que a sessão conjunta do congresso marcada para hoje seja adiada, por conta das divergências que existem em relação aos vetos do presidente Lula em pontos dos projetos do Arcabouço Fiscal e da retomado do "voto de qualidade" no Carf.

Nos EUA, os futuros dos principais índices acionários americanos operam em leve alta. As bolsas americanas se encontram fechadas hoje em razão do feriado do Dia de Ação de Graças. Esse fator deve retirar parte da liquidez do mercado acionário global no restante da semana.

Na Europa, as bolsas operam em leve alta. O mercado deve acompanhar a Ata da última reunião do BCE sobre a política monetária da região. A agenda econômica ainda teve a divulgação de dados preliminares dos PMIs de novembro. Na Alemanha, o PMI industrial de subiu para 42,3 em novembro, acima das estimativas de 41,2. O PMI composto subiu para 47,1 em novembro, acima das estimativas de 46,3. No Reino Unido, o PMI industrial subiu para 46,7, superando as estimativas de 45,0. O PMI composto subiu para 50,1, acima das estimativas de 48,7. Na Zona do Euro, o PMI industrial de subiu para 43,8 em novembro, superando as estimativas de 43,5. O PMI composto subiu para 47,1 em novembro, acima das projeções de 46,8.

Na Ásia, as bolsas fecharam em alta. Em Tóquio, em razão do feriado no Japão, a bolsa local estava fechada. Em Hong Kong, o Hang Seng subiu 0,99%, enquanto na Coreia do Sul, o Kospi apresentou valorização de 0,13%. Na China continental, o Shangai Composto fechou em alta de 0,60%, e o Shenzen Composto subiu 0,82%. O bom desempenho das bolsas chinesas é explicado por novos estímulos do governo local para o setor imobiliário. O estímulo mais recente ocorreu na cidade de Shenzen, onde houve um relaxamento nas regras para a compra de uma segunda residência. Essa semana também saiu a notícia que o governo elaborou uma lista de 50 empresas do setor que poderiam receber empréstimo dos bancos locais.

O petróleo opera em queda. A commodity seguiu ontem o movimento de desvalorização, puxado pela decisão da Opep+ de adiar a reunião que poderia propor novos cortes na produção de petróleo. Em relação ao minério de ferro, a commodity apresentou queda em Dalian. Apesar do auxílio ao setor imobiliário, pesou a notícia de que o governo chinês, em razão das altas nos preços, aumentará a supervisão sobre o mercado de minério, buscando inibir movimentos especulativos.

As ações da Cemig e da Copasa sofreram no pregão de ontem. Os papéis foram impactados pela notícia de que o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, concordou com a proposta de repassar ativos de Minas Gerais para a União para abater parte da dívida do Estado com o governo federal. A notícia veio após a reunião do governador com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. A transferência dos ativos para a União seria uma proposta para que o Governo de Minas não entrasse em um regime de recuperação fiscal. Ainda sobre a Cemig, a companhia concluiu a alienação de sua participação direta de 49,9% do Capital social da Retiro Baixo Energética S.A. ("Retiro Baixo") para Furnas Centrais Elétricas S.A. ("Furnas"). O valor da operação foi de R$ 223,4 milhões. Desse valor, foi abatido o dividendo de R$ 5,9 milhões, recebido em 28/06/2023, resultando no recebimento líquido do valor de fechamento de R$ 217,5 milhões.

O Conselho de Administração da Itaúsa homologou o aumento de capital deliberado em 14/08/2023, após concluído o processo de subscrição particular das 134.923.077 ações. As ações subscritas serão creditadas nas contas dos acionistas no final do dia 24/11/2023. Além disso, o conselho aprovou a elevação do capital social da companhia em R$ 8,8 bilhões, mediante capitalização de reservas de lucros com bonificação de 5% em ações. As ações bonificadas serão creditadas nas contas dos acionistas no final do dia 29/11/2023.

Continua após a publicidade

************

Veja o fechamento de dólar, euro e Bolsa na quarta-feira (22):

Dólar: 0,069%, a R$ 4,9012
Euro: -0,224%, a R$ 5,334
B3 (Ibovespa): 0,33%, aos 126.035,30 pontos

NA NEWSLETTER UOL INVESTIMENTOS

Um novo fundo, que chegou recentemente à Bolsa brasileira, permite ganhar renda de até 1% ao mês com ações da Apple, Disney, Nike, Microsoft, Google e até da Berkshire Hathaway. E o melhor: dá para investir a partir de R$ 100. Na newsletter UOL Investimentos, você fica sabendo qual é esse fundo, como ele funciona e como investir nele. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes