Bolsas

Câmbio

29 das 30 cidades com mais geração de empregos estão no interior do país

Carlos Madeiro e Eduardo Schiavoni

Colaboração para o UOL, em Arapiraca (AL) e Franca (SP)

  • Beto Macário/UOL

    Sede da AeC, empresa de call center em Arapiraca (AL), que gerou 1.200 vagas neste ano

    Sede da AeC, empresa de call center em Arapiraca (AL), que gerou 1.200 vagas neste ano

Em meio à perda de 573 mil vagas de trabalho no país em 2015, cidades pelo interior do país vão na contramão da crise e registram saldo de vagas com carteira assinada neste ano.

Com base nos dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o UOL encontrou as ilhas do emprego no Brasil. Das 30 maiores geradoras, 29 são cidades do interior do país –apenas Goiânia (GO) foge à regra.  Nove estão no Estado de São Paulo.

Juntas, as 30 cidades geraram 63 mil novas vagas e vivem um momento à parte na economia. A atividade que mais se destacou entre esses municípios foi a agropecuária (dominante em 12 cidades). Em seguida, vêm indústria (oito cidades), serviços (cinco), construção civil (quatro) e administração pública (uma cidade). 

Foram consideradas apenas as cidades com mais de 30 mil habitantes para fazer esse ranking.

O número de empregos gerados é o saldo, ou seja, o total de contratações menos o de demissões no período. Por exemplo, se em uma cidade foram contratadas 20 mil pessoas, mas outras 15 mil perderam seus empregos, o saldo é de 5.000, que é o número de vagas geradas (20.000 - 15.000 = 5.000).

Veja as 30 cidades que mais geraram empregos neste ano (até agosto):

  1. Franca (SP) - 5.026
  2. Juazeiro (BA) - 4.268
  3. Pontal (SP) - 4.211
  4. Bebedouro (SP) - 3.569
  5. Cristalina (GO) - 3.511
  6. Petrolina (PE) - 3.141
  7. Matão (SP) - 2.888
  8. Arapiraca (AL) - 2.829
  9. Goianesia (GO) - 2.312
  10. Nova Serrana (MG) - 2.168
  11. São Gotardo (MG) - 2.006
  12. Casa Nova (BA) - 1.966
  13. São Gonçalo do Amarante (CE) - 1.849
  14. Santa Cruz do Sul (RS) - 1.797
  15. São José do Rio Pardo (SP) - 1.776
  16. Goiânia - 1.627
  17. Pitangueiras (SP) - 1.619
  18. Patrocínio (MG) - 1.578
  19. Vargem Grande Paulista (SP) - 1.495
  20. Três Pontas (MG) - 1.456
  21. São Lourenço da Serra (SP) - 1.389
  22. Iturama (MG) - 1.280
  23. Vargem Grande do Sul (SP) - 1.244
  24. Inhumas (GO) - 1.216
  25. Caucaia (CE) - 1.179
  26. União (PI) - 1.163
  27. Medianeira (PR) - 1.139
  28. Machado (MG) - 1.138
  29. Campo Verde (MT) - 1.110
  30. Araucaria (PR) - 1.088

Franca (SP) gerou mais empregos

A cidade campeã na geração de empregos neste ano é Franca (400 km a norte de São Paulo). Conhecida como polo calçadista, gerou 5.026 vagas nos oito primeiros meses, sendo 4.311 na indústria de calçados.

Segundo o professor de economia Hélio Braga Filho, do Centro Universitário Uni Facef, de Franca, o bom resultado da cidade pode ser explicado por dois fatores: a sazonalidade e a recuperação econômica das indústrias depois do mau resultado registrado em 2014.

No ano passado, foram fechadas 2.371 vagas na indústria. "O setor calçadista começa a demitir em novembro, em um processo que dura até o fim de dezembro", disse.

Alta do dólar ajuda

O economista Antonio Vicente Golfeto diz que outro fator positivo é a alta do dólar. "Boa parte da produção de calçados de Franca é exportada e, para quem exporta, o dólar alto sempre é um bom negócio", disse. "Isso também ajuda no desempenho do setor de cítrus [como laranja] e da cana, embora com peso menor", completou.

O presidente do Sindifranca (Sindicato da Indústria de Calçados de Franca), José Carlos Brigagão do Couto, prevê tempos difíceis para o setor, mesmo com a geração de vagas em 2015. "Para ilustrar a gravidade da situação, em outubro de 2013 tínhamos 30.381 funcionários e, em junho, tínhamos 25.162, portanto, um saldo negativo de 5.219 vagas", disse.

Agronegócio em São Paulo

Não é só em Franca que o agronegócio gera riquezas. Em outros pontos do interior paulista, o setor também é o maior vetor da geração de empregos. É o caso de Bebedouro e Matão -quarta e sétima maiores geradoras de emprego no ano. Ambas concentram grandes áreas produtoras de cítrus e cana-de-açúcar.

São José do Rio Pardo, com 1.776 vagas, e Vargem Grande do Sul, com 1.244 vagas, aparecem com destaque no cultivo de cebolas e batatas.

Nordeste em alta

Outra parte da lista de cidades com geração de empregos está no interior do Nordeste. A segunda colocada na lista nacional é Juazeiro (BA), com 4.268. A prefeitura informou que o emprego tem relação direta com o número de obras na cidade e com investimentos privados.

Na divisa com Juazeiro, a cidade de Petrolina, do outro lado do rio São Francisco, mas já em Pernambuco, gerou 3.141 vagas neste ano e se destacou com a produção de frutas, especialmente uvas.

A cidade que gerou mais emprego na área de serviços no país foi Arapiraca, no agreste de Alagoas. Na cidade, que teve saldo positivo de 2.829 vagas, somente a instalação de uma empresa de SAC (serviço de atendimento ao consumidor) abriu 1.200 postos de emprego.

Além disso, o shopping da cidade, inaugurado em setembro de 2013, expandiu-se e também contratou.

Na lista das nordestinas, outro destaque foi São Gonçalo Amarante (CE), onde fica o complexo portuário de Pecém. Lá foram 1.849 vagas. Apesar da desaceleração de obras por todo o país, a construção civil conseguiu impulsionar a geração de empregos no município e foi o setor que mais gerou vagas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos