Renda média do brasileiro em 2015 sobe a R$ 1.113; alta não cobre inflação

Do UOL, em São Paulo

  • Shutterstock

A renda média de cada brasileiro foi de R$ 1.113 em 2015, o que representa uma alta de 5,8% em relação ao ano anterior (R$ 1.052). Apesar de ter havido um aumento, ele ficou abaixo da inflação oficial registrada no ano passado, de 10,67%.

Esses são números médios e podem variar caso a caso. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (26) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A pesquisa do chamado rendimento domiciliar per capita soma a renda de todos os moradores de uma casa (salários e outros rendimentos, como aluguel ou aposentadoria) e divide o total pelo número de pessoas que moram no lugar.

Renda é maior no DF

O Distrito Federal foi o local com a maior renda média por pessoa (R$ 2.252), seguido por São Paulo (R$ 1.482) e Rio Grande do Sul (R$ 1.435).

Na outra ponta, as menores rendas médias foram encontradas no Maranhão (R$ 509), em Alagoas (R$ 598) e no Pará (R$ 672).

Veja a renda média domiciliar por pessoa em cada Estado:

  • Distrito Federal: R$ 2.252
  • São Paulo: R$ 1.482
  • Rio Grande do Sul: R$ 1.435
  • Santa Catarina: R$ 1.368
  • Rio de Janeiro: R$ 1.285
  • Paraná: R$ 1.241
  • Minas Gerais: R$ 1.128
  • Goiás: R$ 1.077
  • Espírito Santo: R$ 1.074
  • Mato Grosso: R$ 1.055
  • Mato Grosso do Sul: R$ 1.045
  • Roraima: R$ 1.008
  • Amapá: R$ 849
  • Pernambuco: R$ 822
  • Rondônia: R$ 822
  • Rio Grande do Norte: R$ 818
  • Tocantins: R$ 818
  • Sergipe: R$ 782
  • Paraíba: R$ 776
  • Acre: R$ 752
  • Amazonas: R$ 752
  • Bahia: R$ 736
  • Piauí: R$ 729
  • Ceará: R$ 680
  • Pará: R$ 672
  • Alagoas: R$ 598
  • Maranhão: R$ 509

Metodologia

Os valores foram calculados a partir dos dados da Pnad contínua, uma pesquisa do IBGE que abrange mais de 200 mil casas em cerca de 3.500 municípios.

A divulgação desses dados é uma exigência do TCU (Tribunal de Contas da União) e ajuda a calcular quanto de dinheiro o governo federal deve repassar para cada Estado, por meio do Fundo de Participação dos Estados.

Renda dos trabalhadores

O IBGE também divulga todo mês outros números sobre a renda dos brasileiros, tanto da Pnad Contínua, quanto de outra pesquisa, a PME (Pesquisa Mensal de Emprego).

A principal diferença é que essas duas pesquisas levam em conta apenas a renda do trabalhador, além de serem valores ajustados pela inflação. 

A renda domiciliar per capita conta todas as rendas da família, como um aluguel ou aposentadoria que recebem, por exemplo. 

A PME indicou que a renda média dos trabalhadores em 2015 foi de R$ 2.265,09

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos