PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Empregos e carreiras

País abre 120.935 vagas de emprego com carteira assinada em abril

Total de empregos com carteira no país somou 40.320.857 em abril - iStock
Total de empregos com carteira no país somou 40.320.857 em abril Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

26/05/2021 12h09Atualizada em 26/05/2021 14h24

O Brasil abriu 120.935 vagas de emprego com carteira assinada em abril, apontam dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados hoje pelo Ministério da Economia. Os números são resultado de 1.381.767 admissões e de 1.260.832 demissões. Foi o quarto mês seguido com saldo positivo.

O total de empregos com carteira no país somou 40.320.857 em abril, o que representa uma variação de 0,3% em relação ao mês anterior. Em março, foram abertas 177.352 vagas, segundo dados revisados.

No acumulado de 2021, foi registrado saldo de 957.889 empregos, decorrente de 6.406.478 contratações e de 5.448.589 demissões (com ajustes até abril).

No ano passado, o governo ofereceu complementação de renda a trabalhadores que tiveram seus contratos de trabalhos temporariamente suspensos ou sofreram redução de jornada e salários durante a pandemia do novo coronavírus. Os trabalhadores do programa ganharam estabilidade por período igual ao da suspensão do contrato ou da redução do salário.

O programa, que havia terminado em dezembro, foi reeditado pelo governo, o que permite às empresas uma nova rodada de redução de jornadas e salários.

Guedes diz que mercado superou impactos da pandemia

Em entrevista coletiva virtual após a divulgação dos dados, o ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou o saldo de empregos criados em abril, mês em que parte dos estados e municípios restringiram atividades do comércio e dos serviços por causa da segunda onda da covid-19.

O ministro lembrou que em abril do ano passado, quando o país passava pela primeira onda da pandemia, o mercado de trabalho fechou quase 1 milhão de vagas com carteira assinada.

"O Brasil vai atravessar as duas ondas da doença e já atravessou o impacto da economia, já está voltando. Já atravessamos a onda da economia e agora ela tem que resistir ao segundo impacto da covid", declarou Guedes.

Apesar do tom otimista do ministro, o nível de desemprego segue alto no país. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de desocupação foi de 14,4% no trimestre encerrado em fevereiro (último dado disponível). Isso significa que 14,4 milhões de pessoas estão na fila por um trabalho, maior contingente desde 2012, quando começou a série histórica.

Todos os 5 setores tiveram saldo positivo

Os dados do Caged apontam saldo positivo no nível de emprego nos cinco grupos de atividade econômica.

  • Serviços: (+57.610 postos)
  • Construção: (+22.224 postos)
  • Indústria: (+19.884 postos)
  • Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura: (+11.145 postos)
  • Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (+10.124 postos)

Regiões

Ainda de acordo com os dados, houve saldo positivo na geração de empregos formais nas cinco regiões brasileiras:

  • Sudeste (+49.371 postos, +0,24%)
  • Sul (+21.721 postos, +0,28%)
  • Centro-Oeste (+20.928 postos, +0,61%)
  • Nordeste (+19.747 postos, +0,31%)
  • Norte (+9.170 postos, +0,49%)

Aumento de 2,54% nos salários de admissão

O salário médio de admissão em abril foi de R$ 1.855,52 —comparado ao mês anterior, houve aumento real de R$ 46,02, o que representa uma variação de 2,54%.

Ainda no mês passado, houve 14.704 admissões e 10.803 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de 3.901 empregos.

Empregos e carreiras