PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Empregos e carreiras

Entrevista de emprego: quais as perguntas mais comuns e como responder?

Saiba as perguntas mais comuns em entrevista de emprego e como se preparar - Getty Images/iStockphoto
Saiba as perguntas mais comuns em entrevista de emprego e como se preparar Imagem: Getty Images/iStockphoto

Vinícius de Oliveira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/04/2022 04h00

Quem busca uma nova oportunidade no mercado de trabalho sempre fica com frio na barriga na hora da entrevista com o recrutador. Seja ele do Recursos Humanos (RH) da empresa ou da própria gerência, algumas perguntas acabam sendo padrões nesses processos seletivos.

Por isso, o UOL Economia conversou com alguns especialistas para dar dicas de como responder às questões mais comuns, como se portar na entrevista e qual o segredo para garantir a vaga de emprego durante a conversa.

"Numa entrevista, o recrutador quer saber como você se vê. Por isso, é importante o autoconhecimento. Acreditar em você e passar para o recrutador. Quanto mais você se conhece, seus pontos fortes, pontos a serem desenvolvidos, o que as experiências agregaram, mais você consegue se destacar na entrevista", explica Elaine Bergmann, orientadora do PUC Carreiras.

Miriam Rodrigues, professora do curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Universidade Presbiteriana Mackenzie, também ressalta que é importante manter uma postura profissional durante a entrevista. "Envolve desde a roupa que você está vestindo, as palavras que você usa para se comunicar com as pessoas da empresa e a maneira de se portar com relação ao gestual", afirma.

Descreva ou fale um pouco sobre você

De acordo com Bergmann, essa é uma das perguntas mais comuns em processos seletivos e que acaba derrubando muita gente por falta de conhecimento.

"Você pode falar de tudo, decorrer sobre a sua vivência. Contar tranquilamente o que você faz, se estuda, se está envolvido em projetos dentro da instituição ou faz trabalhos voluntários. Pode até puxar para o lado pessoal: mora com os pais? Veio de outra cidade?", indica.

"Tem que ser bem transparente e falar bem sobre você. Não adianta dizer que você é uma 'pessoa legal'. Essa pergunta 'fale sobre você' é para demonstrar autoconhecimento e para o recrutador entender quem é você", completa.

Quais são seus pontos fortes?

Também muito comum nos processos seletivos, é comum que essa pergunta recaia nos clichês "responsável, dedicado e perfeccionista". A orientadora da PUC Carreiras indica fugir desses clichês, perguntando para família e amigos quais são suas qualidades. Além disso, é bom sempre contextualizar.

Para isso, a professora indica que você sempre aplique a técnica "CAR": Contexto, Atitude e Resultado. "Não adianta você só falar sem contextualizar. Se você disser que um ponto forte é a comunicação, diga algo que contextualize essa informação. Se você trabalha bem em equipe, diz que é porque participa de time de futebol, onde cada um faz a sua parte. Fala sobre as características e contextualize", conta.

Também é importante caprichar nas suas qualidades, desde que elas sejam verdadeiras.

Quais são seus pontos fracos?

Entre os defeitos mais clichês estão ser ansioso (a), perfeccionista e dificuldade para trabalhar sob pressão. A dica para evitar esses lugares comuns é falar pontos a serem desenvolvidos, que não são necessariamente um defeito.

"Por exemplo, você pode dizer que é tímido ou introvertido, mas dizer que está fazendo um curso de teatro ou oratória. Não foque no que é negativo, foque no que você está fazendo para melhorar. Sempre pensar em desenvolvimento", explica Bergmann.

"É preciso ter sinceridade, mas pensar antes. Se a gente não se prepara para a entrevista, corre o risco de falar a primeira coisa que vem à cabeça. E, geralmente, a primeira coisa que vem é um clichê. A gente consegue evitar isso se preparado", completa Rodrigues.

Como você se vê daqui a cinco ou 10 anos?

De acordo com as especialistas, essa pergunta também é para medir e entender quais são as ambições do candidato. A falta de resposta, nesse caso, pode indicar que o profissional está perdido e sem perspectivas.

"Tem que responder de maneira factível. É uma pergunta que dá ao entrevistador a possibilidade de analisar o foco do profissional. Uma pessoa que responde que não sabe, que nunca pensou nisso, é possivelmente um profissional sem foco e sem ambições. As empresas querem pessoas com energia, garra e focadas", diz a professora do Mackenzie.

Você pode dizer que se vê estudando — seja uma graduação ou uma pós-graduação — ou então formado atuando na área, morando em outro país. "É quase como relatar um sonho seu. Fale sempre como um profissional em desenvolvimento: estudando, trabalhando e feliz", indica a orientadora da PUC.

Por que você saiu da empresa?

Se você já tem experiência profissional e deixou o último cargo (ou pretende deixar), é comum que os recrutadores perguntem o que motivou a sua decisão. Elaine Bergmann diz que é importante ser honesto, mas evitar falar mal da empresa anterior.

"A gente não fala mal do emprego anterior. Quando tem atrito com o gestor, às vezes também é melhor evitar falar. Foque em dizer que está buscando uma nova oportunidade, novos horizontes. Diga que a experiência na empresa foi boa, mas que você sente que a carreira está estagnada. Por mais que tenha sido ruim, não fale mal da empresa ou do gestor. No máximo, diga que houve uma incompatibilidade", indica.

Por que você quer trabalhar conosco?

Atualmente, as empresas buscam candidatos que tenham interesse em trabalhar em seu ambiente organizacional. Isto é, eles procuram profissionais que saibam qual é a cultura da empresa e que se encaixem nessa proposta. Por isso, é importante pesquisar antes sobre ela.

"Os recrutadores hoje perguntam muito sobre o comportamento. A gente é contratado pela técnica e é demitido pelo comportamental. Então, as empresas querem entender como você encara determinadas situações. Querem saber se você sabe onde está pisando", afirma Elaine Bergmann.

Por que eu devo te contratar?

Geralmente uma das últimas perguntas da entrevista, essa pode ser a chave para você ser contratado. "Você deve me contratar porque eu vou vestir a camisa da empresa" é a resposta que a maioria dos recrutadores espera ouvir, segundo a orientadora do PUC Carreiras. Não precisa aqui repetir tudo que foi falado anteriormente, mas acreditar no seu potencial.

Como se portar em entrevistas online

Além de se preparar para as perguntas dos recrutadores, é importante que o candidato se atente para outros detalhes. Hoje em dia, a maioria das entrevistas são online, por isso, as especialistas indicam testar o equipamento antes da entrevista.

"Além disso, tem que tomar cuidado com o fundo. Não dá para mostrar uma cama desarrumada, uma toalha pendurada no guarda-roupas. Lembre de deixar o notebook ou o celular carregados e mantenha uma postura bacana, tranquila, sem cruzar muito os braços ou ficar muito à vontade na cadeira", diz Elaine Bergmann.

"Tem gente que, por estar muito ansiosa, desanda a falar de maneira ininterrupta. Não é legal também. É preciso ter um equilíbrio muito grande na maneira de se vestir, de falar e de se portar. Somos avaliados por tudo, até quando estamos aguardando", finaliza Miriam Rodrigues.

Empregos e carreiras