PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Taxa Referencial: o que é? Para que serve? Como ela afeta os investimentos?

Waldeli Azevedo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/11/2020 04h00

O que é a Taxa Referencia? Para que serve? Qual seu efeito em diferentes operações financeiras? Tire essas e outras dúvidas a seguir:

O que é a TR?

A Taxa Referencial, conhecida como TR, foi criada em 1991, em meio a um pacote de medidas econômicas chamado de Plano Collor II, no mandato do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Quando foi lançada, a TR tinha dois objetivos: desindexar os preços e combater a hiperinflação. Hoje, a TR se configura como uma taxa de juros de referência, um indicador geral da economia brasileira.

Para que serve a TR?

A TR é usada como um fator de correção monetária de empréstimos, do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e de investimentos. É conhecida principalmente por quem aplica na poupança.

Como se calcula a TR?

O Banco Central do Brasil é o responsável pelos valores da TR. Desde fevereiro de 2018, o BC se baseia nas taxas de juros das Letras do Tesouro Nacional (LTN). Para encontrar o valor da taxa TR, a seguinte fórmula é aplicada:

R = a+b x TBF

Nessa fórmula:

  • R é o redutor;
  • a é um valor fixo igual a 1,005 (valor definido na criação da TR);
  • b depende do valor da TBF e é divulgado pelo Banco Central;
  • TBF é a Tarifa Básica Financeira.

Depois de encontrar o valor de R, é preciso substituir os valores na seguinte fórmula:

TR = 100 x [ ((1 + TBF)/R) - 1]

Como acompanhar a TR?

É possível acompanhar diariamente o comportamento da TR pelo site do Banco Central e simular as correções de valores através da Calculadora do Cidadão.

A TR está zerada?

Sim. Isso vem acontecendo desde setembro de 2017. Por convenção do Banco Central, quando o cálculo da TR dá um valor negativo, ela passa a ser considerada como zero. Com a Taxa Referencial zerada há quase dois anos, as principais consequências são a redução da rentabilidade do FGTS e da poupança.

Qual a evolução da TR?

A tabela abaixo mostra os valores da TR desde 1991. Confira:

Qual o impacto da TR na poupança?

A poupança é bastante afetada pela TR. Isso se dá desde 2012, quando o governo fez uma mudança na forma de calcular como as cadernetas rendem. Quando a taxa Selic está acima de 8,5% ao ano, o rendimento é de 0,5% ao mês, mais a TR. Quando a Selic anual está igual ou abaixo de 8,5%, o rendimento da poupança será de 70% da Selic mais a TR.

Qual o impacto da TR no FGTS?

A rentabilidade para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) é calculada em 3% ao ano mais a TR. A Taxa Referencial zerada deixa a rentabilidade do FGTS ainda mais baixa.

Qual a relação da TR com os financiamentos imobiliários?

Nem todos os financiamentos imobiliários sofrem impactos causados pela TR. Ela se aplica somente aos imóveis que fazem parte do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), mantido pela Caixa Econômica Federal. Nesse caso, os valores são corrigidos por juros fixos — definidos pela própria instituição bancária — mais a TR.

Qual o impacto da TR nos títulos de capitalização?

Esses títulos são aplicações oferecidas pelos bancos. Em geral, os títulos de capitalização rendem exatamente de acordo com a Taxa Referencial, que corresponde ao período em que o dinheiro ficou aplicado. Ou seja, se o rendimento do título for apenas a TR, o título vai devolver o mesmo que você investiu.

A TR tem efeito sobre os títulos públicos?

Antigamente, alguns títulos, como o NTN-H e o NTN-P, tinham suas rentabilidades atreladas à variação da Taxa Referencial. No entanto, eles não estão mais disponíveis para compra, embora alguns investidores ainda possam tê-los em suas carteiras.

Fonte: Rafael Panonko, chefe da equipe de análise da Toro Investimentos

Conceitos de Economia