Bolsas

Câmbio

Oferta excedente de aço da China ainda preocupa setor, diz JSW

Swansy Afonso

(Bloomberg) -- A oferta de aço da China, maior produtora do mundo, continua sendo uma "grande preocupação" para a indústria global, que continua sob pressão apesar da melhora dos preços, disse o presidente do conselho de administração da JSW Steel, Sajjan Jindal.

Existe uma "enorme capacidade excedente" na China e o setor está preocupado em relação à forma como o país asiático atacará o problema, disse Jindal, que administra a segunda maior siderúrgica da Índia, em entrevista após a reunião geral anual da empresa, em Mumbai. "Nosso maior temor está ligado ao desempenho da China e ao que eles estão fazendo em um momento em que a maior parte de suas empresas está em funcionamento graças à política do governo de aplicar altos subsídios".

Apesar de ter prometido reduzir sua capacidade em 150 milhões de toneladas até 2020, a China continua exportando seu aço excedente em meio ao crescimento mais lento em décadas. A consolidação da indústria siderúrgica global será crucial em um momento em que o mundo se ajusta aos preços mais baixos em meio ao excedente global e à queda da demanda, segundo o presidente do conselho da Tata Steel, Cyrus Mistry.

As exportações da China atingiram o segundo nível mais alto da história em junho, de 10,94 milhões de toneladas, segundo a administração aduaneira do país. As siderúrgicas chinesas continuam ampliando as exportações porque estão com dificuldades para manter a rentabilidade e a participação de mercado, segundo a Bloomberg Intelligence.

Pressão da oferta

A consolidação ajudaria o setor a manter-se competitivo e a disciplina em relação à oferta é crítica para o seu futuro, disse Mistry, da Tata Steel, no relatório anual da empresa publicado em seu website na semana passada. "Seria vital para o setor olhar para a reestruturação do lado da oferta para reequilibrar a equação oferta-demanda, especialmente em países e regiões nos quais a situação de oferta excedente é estruturalmente aguda".

A empresa anunciou em 9 de julho que estava negociando com a alemã Thyssenkrupp uma possível joint venture na Europa, ao mesmo tempo em que procura vender suas siderúrgicas britânicas. Isto ocorreu logo após a decisão da maior produtora, a ArcelorMittal, de assumir o controle da Ilva, a maior planta siderúrgica da Europa.

No ambiente atual, a JSW Steel não se mostra animada com as aquisições e buscaria se concentrar na consolidação no mercado doméstico e na adição de valor aos seus produtos, disse Jindal. A empresa adiará expansões de capacidade pelos próximos dois anos com o objetivo de reduzir dívidas, disse ele.

A JSW Steel divulgará seu balanço do primeiro trimestre fiscal, que terminou em 30 de junho, nesta quarta-feira. A média das estimativas de 13 analistas compiladas pela Bloomberg é de lucro de 7,4 bilhões de rúpias (US$ 110 milhões) no período. As ações subiram 61 por cento neste ano após a alta dos preços depois que a desaceleração das importações baratas da China e o aumento da capacidade da empresa ampliaram os volumes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos