Conteúdo publicado há 28 dias

Lula chora, defende indústria nacional e prêmio Nobel a Haddad

O presidente Lula (PT) fez elogios a empresários e ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em evento de inauguração de uma fábrica de insulina em Minas Gerais e afirmou que acredita que a equipe econômica do seu governo merece receber o prêmio Nobel de economia.

O que aconteceu

Lula elogiou propostas como o Desenrola e a concessão de crédito para microempreendedores e habitações populares. "Essa semana, o Haddad me apresentou uma proposta econômica. Nós já tínhamos criado uma coisa chamada Desenrola. Eu já tinha falado para o Haddad: 'Se o Desenrola der certo, o pessoal que discute o Prêmio Nobel vai ter que entregar o prêmio para tua equipe", afirmou.

Se tiver outro prêmio de economia, e esse plano [de investimentos estrangeiros no Brasil não perderem dinheiro com a oscilação no câmbio] der certo, o Haddad também vai ganhar com sua equipe o Prêmio Nobel de economia. Então quem discute o prêmio já está devendo dois para você. Você ainda não foi indicado, mas quem sabe eles não indicam um dia. Lula, em evento em Minas Gerais

O presidente também se emocionou e chorou ao citar bisneta que tem diabete. "Sabe quem vai te agradecer pelo resto da vida? A minha bisneta, que tem diabete 1. Ela vive com o aparelho no ombro e com o celular. Para cada coisa que ela come, ela tem que controlar. E o que é fantástico é que ela pede para a mãe ou o pai aplicar a insulina nela. Já faz parte da vida dela", disse.

Lula participou de inauguração da fábrica de insulina em Nova Lima (MG). Empreendimento da empresa Biomm tem 12 mil metros quadrados de área construída e recebeu investimento de R$ 800 milhões. Segundo o governo, a produção da fábrica terá capacidade de atender 1,9 milhão de pacientes.

O presidente também usou parte do discurso para defender a indústria nacional. "Um país soberano precisa de uma indústria nacional forte, sobretudo na área da saúde. A gente tem que produzir aquilo que falta para esse país. Aqui em Minas Gerais, por exemplo, a gente perdeu o Henfil e o Betinho porque a gente não tinha remédio para hemofilia", disse Lula.

Elogios a membro do conselho administrativo da Biomm. Lula disse que, no início de seu primeiro mandato, não conhecia Walfrido dos Mares Guia e, ao abraçá-lo no evento, afirmou que queria ter tido essa oportunidade antes. O empresário falou na cerimônia e disse emocionado que considera o presidente um "grande amigo". No fim do evento, Lula chorou novamente ao abraçar o empresário.

Deixe seu comentário

Só para assinantes