Bolsas

Câmbio

Tecnologia para agilizar e baratear bitcoin entra em operação

Camila Russo

(Bloomberg) -- Uma versão da tecnologia pensada para acelerar e baratear pagamentos com criptomoedas entrou em funcionamento na quinta-feira.

Após mais de um ano de testes com milhares de desenvolvedores, o software, chamado Lightning Network, agora pode ser usado para pagamentos com bitcoins. A Lightning Labs, uma das empresas que desenvolveram a tecnologia, lançou uma versão inicial compatível com redes desenvolvidas por outros grupos, como Blockstream e Acinq.

O bitcoin se transformou em ouro digital -- ou em uma alternativa de investimento viável -- para muita gente, mas enfrenta dificuldades para cumprir o objetivo original de atuar como dinheiro digital. Os culpados são a disparada da taxa de transação, que chegou a US$ 50, e o tempo de confirmação, que chegou a demorar até uma semana. Os entusiastas afirmam que a Lightning Network resolverá esses problemas aplicando taxas de menos de um centavo de dólar e com transações instantâneas.

A Lightning Labs anunciou também que levantou US$ 2,5 milhões em capital semente com investidores, entre eles Jack Dorsey, CEO do Twitter, Jacqueline Reses, chefe da Square Capital, e Bill Lee, investidor da Tesla.

Com o lançamento da Lightning Network, ganha força outra tecnologia pensada para acelerar as transações, a Segregated Witness. O número de transações que a utilizam duplicou para mais de 30 por cento do total no mês passado. As taxas das transações de bitcoins despencaram em parte graças a isso, mas o número total de transações também diminuiu. A Lightning Network foi pensada também para ajudar a reduzir tarifas sobre a principal rede de bitcoins.

A Lightning Network permite que os usuários do bitcoin abram canais de pagamento entre si. As partes podem então realizar transações sem ter que publicá-las no blockchain do bitcoin, evitando atrasos e custos decorrentes do registro dessas transações a cada vez. Quando o canal é fechado, apenas os saldos resultantes são gravados no blockchain, não o histórico completo de transações do canal, e apenas neste momento são pagas as taxas do bitcoin. Não há tempo ou limite de transação obrigatório para fechar um canal de pagamentos, de forma que eles têm a possibilidade de permanecer abertos por meses ou anos.

Elizabeth Stark, fundadora e CEO da Lightning Labs, diz que firmas de comércio, e especialmente empresas digitais, serão as usuárias mais prováveis, porque a tecnologia oferece um volume elevado de pagamentos e suas tarifas próximas de zero permitem pagamentos pequenos. As bolsas de criptomoedas também poderiam usar o software para acelerar depósitos e saques de recursos, disse.

A rede atualmente é capaz de processar alguns milhares de transações por segundo, de acordo com Stark, número ainda distante do máximo conseguido pela Visa, de 56.000, mas que representa uma melhora em relação ao volume de cinco transações por segundo do bitcoin. Mais de 4.000 canais de pagamentos foram abertos desde o lançamento da tecnologia, em janeiro de 2017, e embora estivesse em fase de teste, alguns comerciantes já haviam começado a usá-la. A Block & Jerry's, uma sorveteria on-line inspirada na marca americana de sorvetes Ben & Jerry's, é um exemplo.

"Os defensores do bitcoin ficaram entusiasmados, os comerciantes estão entusiasmados", disse Stark. "A sensação é de que estamos à beira da adoção massiva das criptomoedas."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos