PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Empresas que prometem curar ressaca faturam com ricos e famosos

Hailey Waller

15/04/2019 14h36

(Bloomberg) -- O negócio para tratamento da ressaca está a todo vapor para Ellie. A enfermeira nova-iorquina, que costumava tratar pacientes de cuidado intensivo, agora frequenta rotineiramente os escritórios de "hedge funds' (fundos de proteção) e coberturas de hotéis para entregar infusões intravenosas gota-a-gota com uma solução salina, vitaminas e outros medicamentos para ajudar pessoas ricas e famosas a se recuperarem de uma noite de exageros.

Ellie, que trabalha para uma empresa chamada NutriDrip e pediu que seu sobrenome não fosse publicado por causa de um acordo de não concorrência, tratou "alguns bilionários, muitos modelos, alguns músicos e atletas", disse.

"Estou em uma lista em algum lugar para que compartilharem meus números, então me ligam diretamente", disse. "Sabem que serei muito discreta."

Antes um luxo para mimados discretos, agora esse tipo de tratamento ganha notoriedade em cidades como Nova York, Las Vegas, Londres e Dubai.

Enfermeiros ficam de prontidão para prestar assistência intravenosa aos desidratados, sob o efeito ou não do álcool, em suas casas e quartos de hotel, em centros de atendimento e em um "ônibus da ressaca" para eventos especiais. Aparecem continuamente em sites de notícias, blogs e até mesmo na série "Billions", da Showtime.

Por que sofrer?

Se você acredita que funciona --e nem todo mundo acredita--, a ressaca hoje em dia existe apenas para os que não podem pagar. As sessões custam várias centenas de dólares, na maioria dos casos. Ocupam um nicho em que provedores novatos preferem lançar como uma tendência ao "bem-estar" em uma bolsa de soro, ao invés de uma ressaca inconveniente de cura instantânea.

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA não comenta sobre as infusões intravenosas gota-a-gota, apenas afirma que não é responsável pela regulação do tratamento, cuja eficácia para curar ressacas é questionada por médicos.

No ano passado, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) investigou, pela primeira vez, uma empresa deste segmento, a iV Bars, que anunciava tratamentos intravenosos para doenças graves, como câncer e insuficiência cardíaca congestiva.

A empresa agora anuncia tratamentos mais vagos para "performance", "reidratação" e, também, ressacas --nenhum dos tratamentos parece ter sido vetado pela FTC. A empresa não respondeu a pedidos de comentários.

O site Goop, de Gwyneth Paltrow, escreveu sobre cerca de oito empresas de tratamento intravenoso para "desintoxicação, beleza, imunidade e performance", muitas das quais também oferecem tratamentos para ressaca. Entre as empresas estão a Infuse Wellness, de Santa Monica, e a NutriDrip, que tem bares com tratamento intravenoso em três locais em Manhattan e opera uma divisão chamada Hangover Club (clube da ressaca).

O menu no quarto do hotel The Ned, em Londres, oferece soluções intravenosas com preços que vão de US$ 200 para "hidratação" a US$ 260 para um "impulso da libido". Uma "desintoxicação" custa US$ 365.

A I.V. Doc oferece o que chama de tratamento "leito de morte" para as manhãs quando não seja possível "sair da cama ou do chão". Custa US$ 249 e inclui medicamentos como Zofran, para náuseas, Toradol, para dores de cabeça, e Pepcid, para azia.

"Não está claro para mim que o Toradol seja melhor do que o Advil no tratamento de sintomas da ressaca", disse Robert Shmerling, formado em medicina pela Universidade Harvard e reumatólogo do Beth Israel Deaconess Medical Center, em Boston.