PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Produção industrial sobe em 16 de 26 ramos ante novembro de 2019, diz IBGE

Daniela Amorim

No Rio

08/01/2021 12h46

A produção industrial cresceu em 16 dos 26 setores pesquisados em novembro de 2020 ante novembro de 2019, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Na média global, a indústria avançou 2,8%.

Entre as atividades, as principais influências positivas foram de Máquinas e equipamentos (15,9%), Coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (4,9%), Outros produtos químicos (8,4%), Bebidas (11,2%) e Produtos de metal (13,6%).

Outros impactos positivos importantes ocorreram em Minerais não-metálicos (10,7%), Máquinas, aparelhos e materiais elétricos (13,6%), Metalurgia (5,4%), Produtos de borracha e de material plástico (6,5%), Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (8,7%), Produtos de madeira (14,8%), Produtos têxteis (10,7%), Couro, artigos para viagem e calçados (7,9%) e Celulose, papel e produtos de papel (3,5%).

Na direção oposta, dez atividades apontaram redução na produção, sendo a perda mais relevante a das Indústrias extrativas (-7,5%), pressionadas pelos óleos brutos de petróleo e minérios de ferro pelotizados ou sinterizados.

Houve contribuições negativas significativas também nos Produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-8,7%), Impressão e reprodução de gravações (-26,3%), Outros equipamentos de transporte (-18,3%), Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (-10,8%) e Veículos automotores, reboques e carrocerias (-1,0%).

O índice de difusão, que mostra a proporção de produtos com avanço na produção em relação ao mesmo mês do ano anterior, passou de 51,3% em outubro para 63,0% em novembro, o mais elevado desde maio de 2019, quando esteve em 67,7%.

"O índice de difusão permanece pelo terceiro mês seguido acima de 50%, depois de sete meses abaixo. Essa sequência de três meses acima dos 50% não era observada desde junho-julho-agosto de 2018", ressaltou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.