PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Brasileiro gasta 16% da renda com comida e 7% com carro; calcule sua média

Do UOL, em São Paulo

14/09/2012 10h00

O brasileiro gasta em média 16% de sua renda com alimentação (dentro e fora de casa) e 7% com compra de carros. A maior despesa mensal é de 29%, com habitação, item que inclui aluguel, contas de luz, água, gás, telefone fixo e celular, internet e TV por assinatura, entre outros.

Os dados constam da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) e se referem aos anos de 2008 e 2009. Apesar de ter sido finalizada há três anos, a pesquisa só foi divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira (14).

Com educação, o brasileiro gasta por mês 2,5% de seu rendimento. Com plano de saúde, é 1,7%. Recreação e cultura consomem 1,6%. A despesa com aluguel atinge quase 13% do orçamento mensal. O transporte público representa 2,2% dos gastos mensais.

Esta é a segunda vez em que a POF é realizada em todo o país. A primeira com essa abrangência ocorreu em 2002-2003. Segundo o IBGE, a Pesquisa de Orçamentos Familiares tem o objetivo de medir os gastos e os rendimentos das famílias, além de permitir traçar um perfil das condições de vida da população brasileira a partir da análise de seus orçamentos domésticos.

Doações: evangélicos gastam mais e espíritas, menos

A religião interfere na quantidade gasta mensalmente com pensões, mesadas e doações. Os percentuais são significativamente maiores nas famílias de evangélicos de missão (20,2%), evangélicos de origem pentecostal (19,2%) e outros evangélicos (13,3%), enquanto representa apenas 7,6% para as de espíritas, 9,2% para as de católicos e 9,5% para as de sem religião e não determinadas.

A POF mostrou que a despesa média mensal familiar com viagens foi de R$ 50,16. Para as famílias com rendimentos de mais de R$ 3.015,00 mensais, a despesa média foi de R$ 147,63, quase o triplo da média nacional.

Nas viagens, o peso do transporte foi de 48,7% na média nacional para todas as classe de renda. O segundo item com maior peso foi alimentação, com 22,6%. Para quem ganha acima de R$ 3.015,00, os itens pacotes turísticos (12,8%) e alojamento e aluguel de imóveis por temporada (11,6%) tiveram participação bem mais significativa.

Quanto maior o nível escolar, maior os gastos com viagem. Se a pessoa tem pelo menos o nível médio incompleto, a estimativa de despesa média mensal familiar com viagem foi de R$ 187,61, quase quatro vezes a estimativa nacional (R$ 50,16).

A maior parte das viagens é motivada por férias: lazer, recreio e férias compõem 37,9% das razões para viajar. Depois vêm visita a parentes e amigos (22,3%), negócios e motivos profissionais (15,8%) e tratamentos médicos (8%).

Economia